Vídeo: Veterinário descreve o impacto emocional de tratar rinocerontes sobreviventes de violenta caça ilegal

Vídeo feito por: Mic Smith.

Em março de 2012, caçadores ilegais invadiram a Reserva de Caça Privada Kariega, localizada na província do Cabo, na costa leste da África do Sul. Após arremessarem dardos com drogas imobilizadoras em três rinocerontes – uma tática mais silenciosa que os disparos de tiros – os caçadores ilegais cortaram os chifres com machetes, causando um enorme trauma facial aos animais que foram imobilizados sem anestesia.

Will Fowlds, um veterinário de animais selvagens que vive em Grahamstown, na região oriental da província do Cabo, descreve o seu horror na chegada ao local, logo após os rinocerontes terem sido encontrados, ainda com vida.

“O grau de força e violência o qual você tem que se submeter para remover aquela quantidade de carne da face devido a espessura da pele, a solidez do crânio e a base do chifre que eles tiveram que cortar, é realmente muito difícil. É preciso ter muita determinação para retalhar um animal, particularmente se ele ainda estiver vivo, diz ele.

Um rinoceronte morreu naquela noite, mas Fowlds tratou os dois sobreviventes, um macho chamado Themba e uma fêmea chamada Thandi. Três semanas depois, Themba morreu em consequência de uma infecção decorrente de um ferimento na perna causado pelos caçadores.

Fowlds realizou uma operação em Thandi para reparar aproximadamente 50 ferimentos da face dela. Ela acabou se recuperando, e em janeiro de 2015 deu a luz a um filhote.

Fowlds continua ajudando a desenvolver técnicas de cirurgia facial para tratar os rinocerontes sobreviventes de ataques dos caçadores ilegais, os quais tem aumentado dramaticamente na África do Sul, para abastecer os mercados negros asiáticos.

Veja o filme de Mic Smith na íntegra:

Entre a agitação da caça ilegal de rinocerontes, dias sombrios para a sociedade sul-africana

Artículo publicado por
, , , ,