Primeira página | Sobre | Ajuda | Contato | RSS | Twitter
Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para as crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês

A Floresta Líquida

por Rhett Butler, Janeiro 2008

Caimã no Pantanal Brasileiro. (Foto de R. Butler)

Vida Selvagem às Margens dos Rios da Floresta Tropical

VEGETAÇÂO AQUÁTICA

Poucos ribeirinhos (banco) espécies vegetais de plantas são encontrados na floresta. Estes se assemelham com os colonizadores de lacuna e bordas, espécies que crescem bem no sol forte das áreas abertas. Não há uma grande diversidade de espécies vegetais ao longo dos rios, e rios são frequentemente delimitados por muros de vinhas que cobrem árvores por causa do acesso ao brilhante sol tropical. A presença desta densa vegetação é grande e por isso os primeiros exploradores da Amazônia se referiram à floresta como uma "selva impenetrável."


Periodicamente inundadas as florestas várzeas são bastante diferentes das florestas terras firmes que são encontradas em solos bem drenados.Já que as florestas várzeas têm alta rotatividade, que são caracterizados por baixa diversidade de árvores e dósseis menos desenvolvidos. Ilhas florestais tipicamente consistem deste tipo de floresta. Na Amazônia, florestas várzea têm altas densidades de árvores frutíferas que atraem grande número de mamíferos.

VIDA ANIMAL

Muitos animais terrestres dependem das águas das florestas para sobrevivência, e alguns são encontrados quase que exclusivamente ao longo de rios e lagos.

Répteis são abundantes ao longo das florestas navegáveis. Lagartos, incluindo dragões aquáticos (Austrália), monitores (África, Ásia, Austrália), iguanas (Novo Mundo), e outras espécies são especialmente comuns. Um dos mais interessantes é o basilisk, lagarto do Novo Mundo. Este lagarto, popularmente conhecido como lagarto Jesus Cristo, tem a capacidade de correr grandes distâncias através da água, utilizando seus dedos e caudas longos. Qualquer visitante da floresta pode obter inúmeras horas de diversão por perseguir estes lagartos nas praias e assistir como usam um passo rápido para apoiar o seu peso, para que possa escapar através da água.

Pair of giant river otters
Pair of giant river otters


Neotropic cormorant (Phalacrocorax olivaceus) in Oxbow lake
Neotropic cormorant (Phalacrocorax olivaceus) in Oxbow lake


Hoatzin (Opisthocomus hoazin) in vegetation along oxbow lake
Hoatzin (Opisthocomus hoazin) in vegetation along oxbow lake


Small shore birds along Rio Tambopata
Babirusa from Indonesia



Fly River Turtle (Carettochelys insculpta)



Matamata Turtle (Chelus fimbriatus)



Caiman



Caiman


Small shore birds along Rio Tambopata
Small shore birds along Rio Tambopata


Osprey (Pandion haliaetus)
Osprey (Pandion haliaetus)


As gigantes serpentes do mundo, pythons do Velho Mundo e boas e as Anacondas do Novo Mundo, são encontrados ao longo de vias navegáveis onde se alimentam de grandes presas que se aproximam do rio para beber água. Crocodilos, sob diversas formas, são encontrados em todo o mundo, mas talvez o mais impressionante é o crocodilo de água salgada da Austrália e da Nova Guiné, que é famoso por ataques ocasionais a seres humanos. Estes crocodilos gigantes, que são encontrados no mar, salobras e águas doces, podem ser superiores a 20 pés de comprimento.

vida das aves ao longo dos rios é prolífico porque a disponibilidade de alimentos na forma de peixes, insetos e frutos produzidos por espécies de vinha ao longo dos rios. Um fenômeno interessante é a recolha de araras ao longo da margem de argila do rio Amazona onde eles lambem os minerais ricos em argila que detoxicam as rigorosas químicas que consomem. Áreas de rios são os melhores locais da floresta tropical para admirar os pássaros, porque eles é uma área aberta e os pássaros são abundantes.

Mamíferos também são encontrados ao longo rios. Jaguares são mais freqüentemente vistos perto de rios, onde caçam e pescam. Outro predador encontrado ao longo do rio da América do Sul são as lontras gigantes. Estes animais, que não tem predadores naturais e são eficientes caçadores, são consideados raros devido o excesso de caça, e só podem encontrados dispersos em áreas onde hoje a presença humana é limitada.


Questões de Revisão :
  • Como as florestas várzeas são diferentes das florestas montanhosas?

[Inglês | Espanhol | Francês]


Continuação: A Impôrtancia dos Rios para os Povos da Floresta Tropical







MONGABAY.COM
Mongabay.com promove a apreciação da natureza e dos animais selvagens, além de examinar o impacto de tendências emergentes no clima, na tecnologia, na economia e nas finanças, na conservação e no desenvolvimento.

Estamos preparando o lançamento do site Mongabay em Português. Quer ajudar? Que bom! Se você fala Inglês entre em contato com o Rhett. Precisamos de mais voluntários para fazer traduções de conteúdo. E se você não fala Inglês, volte sempre e divulgue o site para os seus amigos!





Primeira página
Notícias ambientais
Florestas tropicais
Peixe tropical
Imagens
Para as crianças
Madagascar
Idiomas
Sobre
Ajuda
Contato RSS/XML


Recomendado
Amazonia.org
O Eco
A Última Arca de Noé





Jaguares do Chaco argentino à beira da extinção local
(04/21/2014) O majestoso jaguar (Panthera onca), o maior dos felinos do Novo Mundo, estende-se desde o sul dos EUA até ao norte da Argentina. No passado, os jaguares chegavam até mais 1500 km para sul, mas o seu alcance tem diminuído com o acelerar da perda de habitat e interferência humana. De modo geral, os jaguares estão classificados como espécie Quase Ameaçada (NT) pela IUCN, mas o nível de risco que enfrentam varia de região para região. As populações que vivem na Argentina, no actual limite sul, foram identificadas como sendo algumas das mais ameaçadas de todas.


Exclusivo: Fotografias aéreas impressionantes revelam que o Equador está a abrir estradas no coração da floresta húmida mais rica do mundo (Parque Nacional Yasuni)
(04/16/2014) Em Agosto de 2012 os fotógrafos profissionais Ivan Kashinsky e Karla Gachet estavam em missão para a National Geographic no Parque Nacional Yasuní, a floresta com maior biodiversidade do mundo. Durante a sua estadia, fizeram uma sessão de fotografia sobrevoando uma área conhecida como Bloco 31 (ver mapa), uma concessão de petróleo controversa localizada no coração do parque, no preciso momento em que a companhia estatal de petróleo, Petroamazonas, abria secretamente um novo acesso.


Tribo da Floresta Amazônica vende créditos do REDD+ para gigante brasileira de cosméticos
(04/11/2014) Os Paiter-Suruí, uma tribo da floresta Amazônica, que em junho tornou-se o primeiro grupo indígena a gerar créditos do REDD+, através do Verified Carbon Standard (VCS), já fechou seu primeiro negócio. Conforme relatado pelo Ecosystem Marketplace, a Natura Cosméticos, uma mega fabricante de cosméticos brasileira, adquiriu 120.000 toneladas de créditos de carbono a partir do Projeto de Carbono Florestal Suruí, no estado de Rondônia, Brasil


A culpa é dos humanos: novo estudo prova que pessoas mataram as aves gigantes da Nova Zelândia
(04/07/2014) As moas eram um grupo diverso de aves que não voavam, mas dominavam a Nova Zelândia até a chegada dos humanos. A maior delas alcançava cerca de 3,5 metros de altura com o pescoço esticado. Apesar de toda a família das moas – com nove espécies – ter desaparecido logo após a chegada das pessoas no século 13 na Nova Zelândia, há muito tempo cientistas vêm debatendo por que essas aves enormes foram extintas. Algumas teorias apontavam que as aves já estavam em declínio devido a mudanças ambientais e atividades vulcânicas antes dos humanos pisarem nas praias neozelandesas. Mas um estudo lançado no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) revela que não há evidências desse declínio, e aponta diretamente para nós.


Os vídeos produzidos pela armadilha fotográfica poderiam estimular o mundo a proteger o Yasuní da perfuração de petróleo?
(04/03/2014) Mesmo dez anos atrás, teria sido impossível imaginar imagens bem claras de um jaguar caminhando lenta e penosamente ao longo da impenetrável Amazônia, um porco-espinho-de-cauda-preênsil-bicolor (Coendou bicolor) se equilibrando em um galho, um bando de macacos-aranha se alimentando em um barranco de argila ou um grupo de quatis saindo correndo, um por um, da densa folhagem. São coisas que até mesmo pesquisadores que gastam uma vida inteira na Amazônia podem nunca ver. Agora, qualquer um pode: cientistas da Estação de Biodiversidade Tiputini começaram a usar recentemente, no Parque Nacional Yasuní do Equador, vídeos da armadilha fotográfica para registrar imagens de animais que poucas pessoas poderão ver durante suas vidas. Os vídeos — após anos da armadilha fotográfica por fotos — fornecem uma visão reveladora de um mundo cada vez mais ameaçado pela indústria do petróleo.


Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para as crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês



Copyright Rhett Butler 2009