Primeira página | Sobre | Ajuda | Contato | RSS | Twitter
Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para as crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês

A Floresta Líquida

por Rhett Butler, Janeiro 2008

Caimã no Pantanal Brasileiro. (Foto de R. Butler)

Vida Selvagem às Margens dos Rios da Floresta Tropical

VEGETAÇÂO AQUÁTICA

Poucos ribeirinhos (banco) espécies vegetais de plantas são encontrados na floresta. Estes se assemelham com os colonizadores de lacuna e bordas, espécies que crescem bem no sol forte das áreas abertas. Não há uma grande diversidade de espécies vegetais ao longo dos rios, e rios são frequentemente delimitados por muros de vinhas que cobrem árvores por causa do acesso ao brilhante sol tropical. A presença desta densa vegetação é grande e por isso os primeiros exploradores da Amazônia se referiram à floresta como uma "selva impenetrável."


Periodicamente inundadas as florestas várzeas são bastante diferentes das florestas terras firmes que são encontradas em solos bem drenados.Já que as florestas várzeas têm alta rotatividade, que são caracterizados por baixa diversidade de árvores e dósseis menos desenvolvidos. Ilhas florestais tipicamente consistem deste tipo de floresta. Na Amazônia, florestas várzea têm altas densidades de árvores frutíferas que atraem grande número de mamíferos.

VIDA ANIMAL

Muitos animais terrestres dependem das águas das florestas para sobrevivência, e alguns são encontrados quase que exclusivamente ao longo de rios e lagos.

Répteis são abundantes ao longo das florestas navegáveis. Lagartos, incluindo dragões aquáticos (Austrália), monitores (África, Ásia, Austrália), iguanas (Novo Mundo), e outras espécies são especialmente comuns. Um dos mais interessantes é o basilisk, lagarto do Novo Mundo. Este lagarto, popularmente conhecido como lagarto Jesus Cristo, tem a capacidade de correr grandes distâncias através da água, utilizando seus dedos e caudas longos. Qualquer visitante da floresta pode obter inúmeras horas de diversão por perseguir estes lagartos nas praias e assistir como usam um passo rápido para apoiar o seu peso, para que possa escapar através da água.

Pair of giant river otters
Pair of giant river otters


Neotropic cormorant (Phalacrocorax olivaceus) in Oxbow lake
Neotropic cormorant (Phalacrocorax olivaceus) in Oxbow lake


Hoatzin (Opisthocomus hoazin) in vegetation along oxbow lake
Hoatzin (Opisthocomus hoazin) in vegetation along oxbow lake


Small shore birds along Rio Tambopata
Babirusa from Indonesia



Fly River Turtle (Carettochelys insculpta)



Matamata Turtle (Chelus fimbriatus)



Caiman



Caiman


Small shore birds along Rio Tambopata
Small shore birds along Rio Tambopata


Osprey (Pandion haliaetus)
Osprey (Pandion haliaetus)


As gigantes serpentes do mundo, pythons do Velho Mundo e boas e as Anacondas do Novo Mundo, são encontrados ao longo de vias navegáveis onde se alimentam de grandes presas que se aproximam do rio para beber água. Crocodilos, sob diversas formas, são encontrados em todo o mundo, mas talvez o mais impressionante é o crocodilo de água salgada da Austrália e da Nova Guiné, que é famoso por ataques ocasionais a seres humanos. Estes crocodilos gigantes, que são encontrados no mar, salobras e águas doces, podem ser superiores a 20 pés de comprimento.

vida das aves ao longo dos rios é prolífico porque a disponibilidade de alimentos na forma de peixes, insetos e frutos produzidos por espécies de vinha ao longo dos rios. Um fenômeno interessante é a recolha de araras ao longo da margem de argila do rio Amazona onde eles lambem os minerais ricos em argila que detoxicam as rigorosas químicas que consomem. Áreas de rios são os melhores locais da floresta tropical para admirar os pássaros, porque eles é uma área aberta e os pássaros são abundantes.

Mamíferos também são encontrados ao longo rios. Jaguares são mais freqüentemente vistos perto de rios, onde caçam e pescam. Outro predador encontrado ao longo do rio da América do Sul são as lontras gigantes. Estes animais, que não tem predadores naturais e são eficientes caçadores, são consideados raros devido o excesso de caça, e só podem encontrados dispersos em áreas onde hoje a presença humana é limitada.


Questões de Revisão :
  • Como as florestas várzeas são diferentes das florestas montanhosas?

[Inglês | Espanhol | Francês]


Continuação: A Impôrtancia dos Rios para os Povos da Floresta Tropical







MONGABAY.COM
Mongabay.com promove a apreciação da natureza e dos animais selvagens, além de examinar o impacto de tendências emergentes no clima, na tecnologia, na economia e nas finanças, na conservação e no desenvolvimento.

Estamos preparando o lançamento do site Mongabay em Português. Quer ajudar? Que bom! Se você fala Inglês entre em contato com o Rhett. Precisamos de mais voluntários para fazer traduções de conteúdo. E se você não fala Inglês, volte sempre e divulgue o site para os seus amigos!





Primeira página
Notícias ambientais
Florestas tropicais
Peixe tropical
Imagens
Para as crianças
Madagascar
Idiomas
Sobre
Ajuda
Contato RSS/XML


Recomendado
Amazonia.org
O Eco
A Última Arca de Noé





Cientistas identificam rā através do DNA, sem deixar a floresta
(05/19/2015) Ontem, uma equipa de cientistas italianos fez história, quando pegou numa rā numa floresta de montanha na Tanzânia: usando uma pequena amostra de sangue da rā, a equipa foi capaz de extrair, purificar e amplificar o DNA do anfíbio – tudo enquanto estavam na floresta – usando um dispositivo chamado Expedition Genomics Lab.


Assassinatos de activitas ambientais aumentou 20% no ano passado
(05/11/2015) De acordo com um novo e sombrio relatório elaborado pela Global Witness, o assassinato e a matança de ativistas ambientais aumentou 20% no ano passado. Em 2014, a organização documentou 116 mortes em 17 países, com o maior número de assassinatos a ocorrer no Brasil, que contabilizou 29 mortes de defensores ambientais e de direitos à terra.


Nova anta? Cientistas disputam descoberta biológica do século
(05/11/2015) Há quase um ano, os cientistas anunciaram uma descoberta incrível: uma nova espécie de anta da Amazónia Ocidental no Brasil e Colômbia. O anúncio era notável por várias razões: este seria o maior novo mamífero terrestre descoberto em mais de 20 anos e apenas a quinta espécie de anta conhecida no mundo. A anta, apelidada anta-pretinha ou anta kabomani, foi descrita como significativamente mais pequena do que as outras antas do mundo (embora sendo ainda um dos maiores animais terrestres da América do Sul), com uma forma muito distinta de cabeça e o pêlo mais escuro do que o normal. Mas no espaço de alguns meses outros investigadores levantaram dúvidas sobre a veracidade da nova espécie.


Florestas indígenas ameaçadas abrangem mais da metade do carbono da Amazônia
(05/08/2015) A emissão de carbono pela ação humana é um grande agente do aquecimento global, e os cientistas constataram há anos que as florestas tropicais são vitais para absorver excesso de carbono. Um novo estudo divulgado no Carbon Management constata que a quantidade total de carbono retida em partes da floresta tropical Amazônia ocupadas por grupos indígenas é muito superior à estimada anteriormente – uma quantidade que, caso liberada, seria capaz de desestabilizar a atmosfera da Terra. Mas devido aos fracos direitos de propriedade de terra, essas áreas estão sob risco de desmatamento.


A expansão do óleo de palma teve participação na crise do Ebola?
(05/07/2015) O surto do Ebola na África ocidental pode ter sido o resultado de políticas econômicas e agrícolas complexas, desenvolvidas pelas autoridades da Guiné e Libéria, conforme um novo documentário sobre Planejamento e Meio Ambiente. Examinando as atividades econômicas em torno dos povoados onde o Ebola surgiu inicialmente, os pesquisadores averiguaram uma mudança nas atividades do uso da terra na região florestal da Guiné, particularmente com aumento do cultivo do dendezeiro


Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para as crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês



Copyright Rhett Butler 2009