Primeira página | Sobre | Ajuda | Contato | RSS | Twitter
Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para as crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês

O SOLO

por Rhett Butler, Janeiro 2008

Frutos Dragão. (Foto de R. Butler)

FRUTOS E SEMENTES

Muitas das sementes e frutos produzidos por árvores dossel caiem ao chão e fornecem alimento para os colhedores de sementes (roedores, aves, peixes, etc) e criam um banco de sementes natural na ninhada . Existem duas estratégias, uma vez que as sementes atingem o solo. Uma estratégia é produzir sementes com grandes reservas alimentares que permitam a sobrevivência da plântula em condições de baixa luz do subsolo. O segundo método são para espécies de características pioneiras produzir um grande número de pequenas sementes que só germinam em determinadas condições (geralmente one há lacunas de luz). Quando há uma lacuna de luz, estas sementes e brotos de mudas crescem rapidamente para voltar a ligar o buraco do dossel.


Palm buds



Pomelo (Jerunga) fruta



Green cacao pods still on the tree



White cauliflorous flowers growing out of tree trunk



Ripening cacao pods still on the tree



Pé de cacau vermelho



Frutas vermelhas nos arbustos da floresta


Já que as sementes são os agentes para o futuro crescimento, muitos têm defesas contra predadores para garantir que algumas serão deixadas intocados para poder germinar. Plantas reduzem herbivoria e consumação de sementes com defesas estruturais como espinhos, cabelos que picam, e a produção de compostos tóxicos que interferem com a digestão ou são desagradaveis. Muitas vezes, a semente é cercada por comestíveis materiais carnudos para torná-las aceitáveis para aves e mamíferos que podem dispersar-las, mas como a semente é tóxica e indigestiva ela será pulada ou descartado. Por exemplo, o caju tem um doce e suculento caule, mas as sementes são tóxicas, então macacos comem o carnudo caule e descartam as sementes.

Muitas árvores da floresta, em especial as do interior da floresta, produzem grandes frutos cauliflorous que crescem diretamente para fora da superfície da árvore. Este mecanismo permite que a árvore cresça grande, com conspícuos frutos que atraem grandes animais. Um dos maiores frutos cauliflorous é a fruta jaca do sudeste da Ásia que podem ser de três pés de comprimento (1 m) e 110 libras (50 Kg). A jaca produz um forte odor que atrai mamíferos noturnos como a raposa voadora. Um famoso cauliflorous fruto do sudeste da Ásia é o durian, uma fruta coberto por espinhos que é como o ditado diz: "tem sabor do céu e cheiro do inferno". O odor do durian é tão ofensivo que a sua presença tem sido proibida em alguns lugares públicos, como hotéis e aeroportos. No entanto, o durian é uma importante exportação para Malásia, Indonésia e Tailândia, que exportou aproximadamente 1 milhão de toneladas em 1992. Ambos cacau e café crescem como frutos cauliflorous.

Frutos e sementes fornecem um importante recurso alimentar para os animais terrestres da floresta. Para sobreviver, uma semente deve eludir estes predadores e dispersores como aves especializadas, mamíferos, e peixes. Estes dispersores comem a carne do fruto sem destruir as sementes. Outras sementes escapam por serem venenosas. Algumas destas toxinas são úteis para insetos, que as seqüestram para os seus próprios fins, e para os seres humanos. Por exemplo, muitas sementes toxinas quimicamente isoladas e têm sido utilizados para formular medicamentos para os seres humanos, enquanto vários insetos naturalmente incorporam esses compostos para se tornarem tóxicos ou utilizam estas toxinas para produzir aromas para atrair parceiros. Por exemplo, os machos borboleta da família Danaiidae convertem alcalóides na planta crotalaria em perfume para atrair as fêmeas.

Muitas sementes grandes têm defesas estruturadas contra os predadores de sementes. Em alguns casos, as sementes concebidas para passarem nas tripas de grandes mamíferos tem uma casca robusta, enquanto aves dispersoras de grandes frutos tem sementes que muitas vezes são defendidas quimicamente. Por exemplo, as frutas da noz moscada se quebram para revelar uma grande semente coberta com uma cor de laranja aril. A semente é altamente aromáticas, o odor age como uma advertência e dissuadores de tóxicos.


Questões de Revisão:
  • Como os animais ajudam o ciclo reprodutivo das plantas?
  • Porque muitas sementes são venenosas?

[Inglês | Espanhol | Francês]


Continuação: Lacunas de Luz, Mudas e Arbustos







MONGABAY.COM
Mongabay.com promove a apreciação da natureza e dos animais selvagens, além de examinar o impacto de tendências emergentes no clima, na tecnologia, na economia e nas finanças, na conservação e no desenvolvimento.

Estamos preparando o lançamento do site Mongabay em Português. Quer ajudar? Que bom! Se você fala Inglês entre em contato com o Rhett. Precisamos de mais voluntários para fazer traduções de conteúdo. E se você não fala Inglês, volte sempre e divulgue o site para os seus amigos!





Primeira página
Notícias ambientais
Florestas tropicais
Peixe tropical
Imagens
Para as crianças
Madagascar
Idiomas
Sobre
Ajuda
Contato RSS/XML


Recomendado
Amazonia.org
O Eco
A Última Arca de Noé





'As armas também matam árvores': caça excessiva aumenta o perigo de extinção das árvores
(03/24/2015) Um novo artigo científico confirma algo que os ecologistas há muito receavam: a caça de aves e mamíferos aumenta drasticamente o risco de extinção das árvores tropicais. Estudando de perto do ciclo de vida de uma árvore da espécie Miliusa horsfieldii, os investigadores descobriram que a caça excessiva de animais aumenta 14x as probabilidades de extinção desta espécie de árvores, ao longo do século, de 0.5% para 7%.


Florestas tropicais: 10 coisas para se observar em 2015
(03/23/2015) 2014 foi um ano de marco de referência para as florestas tropicais, com dezenas de grandes empresas comprometidas a eliminar o desmatamento das cadeias de fornecimentos, teve o lançamento de novas plataformas para monitorar as florestas, e uma queda considerável no desmatamento na Amazônia brasileira, dentre outros grandes desenvolvimentos. Aqui está um rápido olhar adiante no que poderia estar reservado para as florestas tropicais em 2015.


Erradicação dos ratos é necessária para salvar colônia de aves marinhas
(03/18/2015) Além de serem um incômodo na sua casa, em um conjunto de ilhas isoladas (arquipélago) na costa nordeste do Brasil, os ratos são uma ameaça para o rabo-de-palha-de-bico-vermelho (Phaethon aethereus). Os ninhos de aves marinhas no remoto Parque Nacional de Abrolhos são invadidos por duas espécies de ratos que atacam seus ovos e filhotes: o rato-preto (Rattus rattus) e o rato-marrom (Rattus norvegicus).


Metade do desmatamento na Indonésia ocorre fora das áreas de concessão
(03/12/2015) Aproximadamente metade da perda das florestas naturais na Indonésia ocorre fora das áreas de concessão oficialmente designadas, concluiu uma nova avaliação, que também detectou os índices de desmatamento mais altos nos locais onde a governança florestal apresenta os piores resultados. O relatório, divulgado no mês passado pela organização Forest Watch da Indonésia, é baseado na análise de dados do satélite que cobriu a área do arquipélago. Ao contrário das avaliações feitas pelo Ministério Florestal, a informação inclui áreas fora das "propriedades florestais".


Como é que vamos evitar o desaparecimento das florestas mundiais antigas?
(03/11/2015) Não há nada no mundo como uma floresta primária, que nunca foi alvo de desbastação industrial ou abatida pelo homem. Nas características comuns destas florestas incluem-se as árvores antigas, uma quantidade significativa de madeira morta, pouco crescimento ao nível do solo, devido à cobertura das copas das árvores, e uma elevada biodiversidade, que inclui muitas espécies que não se encontram noutros locais. São geralmente descritas como semelhantes a catedrais, devido aos troncos das árvores que se assemelham a pilares e ao tapete vegetal que cobre o solo.


Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para as crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês



Copyright Rhett Butler 2009