tag:pt.mongabay.com,2005:/news Mongabay.com News 2014-09-09T20:41:25Z tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13761 2014-09-09T20:23:00Z 2014-09-09T20:41:25Z Vendidos na rota da extinção: grandes símios traídos por seus protetores <table align="left"><tr><td><img src=" http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0603_stiles_150.jpg" align="left"/></td></tr></table>No que parece ser corrupção em altas esferas, o órgão international encarregado de proteger espécies ameaçadas vem fazendo vista grossa para o comércio ilegal de grandes símios. Essa foi minha nítida impressão ao ler o relatório Great Apes, elaborado pelo Secretariado da CITES (Convention on International Trade in Endangered Species – Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção) para a 65a reunião de seu Comitê Permanente, que ocorrerá em Genebra no começo de julho deste ano. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13739 2014-09-04T18:45:00Z 2014-09-04T19:06:04Z Salvar a Mata Atlântica custaria menos do que o Titanic <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0828.atlantic.S._flavius_SP_Zoo.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Gostaria de salvar a biodiversidade do local mais ameaçado do mundo? É preciso apenas um pagamento inicial de 198 milhões de dólares. Embora possa parecer muito, na verdade é menos do que custa produzir o filme Titanic. Um novo estudo publicado hoje, 28 de agosto, na revista Science, constata que pagando aos proprietários de terras privadas para proteger a quase devastada Mata Atlântica custaria ao Brasil apenas 6,5% do que atualmente é gasto todo ano em subvenções agrícolas. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13712 2014-08-25T14:11:00Z 2014-08-25T14:32:10Z Cruzada pelo dossel florestal: a maior rede de armadilhas fotográficas está de olho nos animais impactados pelo projeto do petróleo <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1114interview150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Petróleo, gás, madeira, ouro: a floresta tropical amazônica é rica em recursos e sua exploração está estrondosa. Da mesma forma que aumenta a extração de recursos, aumenta também a criação de estradas de acesso e oleodutos. Estes esculpem os caminhos pela antes intacta floresta, interrompendo assim um grande número de trilhas de espécies que vivem no local. Para as espécies que dependem do dossel da floresta tropical isso pode ser, em particular, problemático. Brittany Stewart -4.915833 -74.274903 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13707 2014-08-22T19:11:00Z 2014-08-22T19:20:46Z Terá o ponto de inflexão sido atingido? A zona oeste da Antárctica está a derreter de forma lenta mas imparável <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0514.800px-Antarctic_Sea_Ice_-_Amundsen_Sea.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Em 200 anos o planeta poderá estar bastante diferente. Esta semana, dois importantes estudos revelaram que a camada de gelo do Oeste da Antárctica está num estado de inevitável colapso, interligado com as alterações climáticas. O lento colapso poderá conduzir a um aumento no nível do mar de 3.6-4.5 metros (12-15 pés), inundando muitas ilhas, áreas baixas e cidades costeiras. O único aspecto positivo é que os cientistas estimam que este colapso pode demorar entre 200 a 1000 anos. Brittany Stewart -75.499942 -106.750365 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13705 2014-08-22T18:58:00Z 2014-08-22T19:08:04Z Chimpanzés e elefantes florestais de espécies em ameaça encontrados em região tropical a ser comercializada para produção de óleo de palma <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0808.GP0MDS.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Uma pesquisa biológica referente a um projeto relacionado a óleo de palma em Camarões revelou 23 espécies de mamíferos grandes, incluindo a mais ameaçada das subespécies de chimpanzé, o chimpanzé da Nigéria–Camarões (<i>Pan troglodytes ellioti</i>). O projeto em questão, comandado pela empresa americana Herakles Farms, tem sofrido críticas rigorosas nacional e internacionalmente por ameaçar uma das terras florestais da África com maior riqueza de biodiversidade e por limitar o acesso dos moradores locais a terras tradicionais. Brittany Stewart 5.101887 9.118423 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13702 2014-08-22T17:51:00Z 2014-08-22T18:03:53Z Greenpeace acusa uma controversa companhia de óleo da palma e o governo da República dos Camarões de abate ilegal de árvores <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0528.bulldozers.herakles.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O Greenpeace recentemente acusou uma das companhias de óleo de palma mais controversas do mundo, a Herakles Farms, de conspirar com os altos funcionários do governo na venda de madeira ilegal para a China. De acordo com um recente relatório do grupo ambiental, um acordo secreto entre o ministro para assuntos florestais da República dos Camarões, Ngole Philip Ngwese, e a Herkales Farms–através de uma empresa de fachada–pode torpedear o acordo com a União Europeia para uma melhor gestão da madeira. Brittany Stewart 5.063568 9.285140 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13664 2014-08-13T20:26:00Z 2014-08-13T21:03:00Z Armadilha fotográfica flagra felino raro tentando capturar presa coberta por carapaça Um dos felinos menos conhecidos do mundo parece encarar um desafio maior do que aquele com que pode lidar, em vídeo lançado recentemente pelo Gashaka Biodiversity Project , do maior parque nacional da Nigéria, o Gashaka Gumti. O vídeo, filmado com uma armadilha fotográfica remota, mostra um gato-dourado-africano (Profelis aurata) tentando apanhar um pangolim arborícola (Manis tricuspis), um estranho mamífero coberto de escamas. O Gashaka Biodiversity Project é coordenado pelo Chester Zoo, um zoológico localizado no Reino Unido, como parte de seu programa de conservação Act for Wildlife. Brittany Stewart 7.541676 11.606435 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13648 2014-08-11T20:22:00Z 2014-08-11T20:35:10Z Adorável bebê olinguito Pesquisadores recém-chegados de uma expedição na floresta de neblina da Colômbia divulgaram fotos do mais novo carnívoro descoberto no mundo, o olinguito. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13630 2014-08-05T17:58:00Z 2014-08-05T18:31:50Z APP empenhada na conservação e restauração de 1 de milhão de acres de floresta na Indonésia; WWF apoia a iniciativa <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/riau/150/riau_1382.jpg" align="left"/></td></tr></table>A Ásia Pulp & Paper (APP), maior companhia de polpa e papel da Indonésia, e por muito tempo alvo de defensores ambientais, hoje se comprometeu na proteção e restauração de um milhão hectares de floresta por toda a Indonésia. O compromisso, que representa uma área equivalente ao total da área plantada na qual a companhia obteve a polpa em 2013, foi imediatamente bem recebida pelo WWF, que até hoje era considerado como um dos mais constantes críticos da APP. Brittany Stewart 0.071068 102.396301 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13605 2014-07-30T12:49:00Z 2014-07-30T13:01:46Z Horrores submarinos: organismos marinhos derretem ao largo da costa dos USA <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0508.LimacinaHelicinaNOAA.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Este podia ser o guião de um filme de terror: um dia os humanos acordam e descobrem que as alterações químicas da atmosfera estão a dissolver os seus corpos. Para os pequenos organismos marinhos, conhecidos como borboletas marinhas ou pterópodes, isto está já a acontecer ao largo da costa Oeste dos USA. O aumento da concentração de carbono no oceano está a derreter as conchas das borboletas marinhas, que são pequenos caracóis marinhos que servem de base para a maior parte da cadeia alimentar oceânica, sendo presa do salmão rosa, carapau e arenque. Brittany Stewart 34.549557 -120.797515 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13536 2014-07-14T20:54:00Z 2014-07-14T21:15:59Z O implacável crescimento da população está levando ao aquecimento global e a extinção em massa <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0626.strike-51212_640.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>A humanidade levou cerca de 200.000 anos para chegar a um bilhão de pessoas. Mas, em duzentos anos, nós setuplicamos a população. Na verdade, nos últimos 40 anos, nós adicionamos um bilhão a mais a cada doze anos, aproximadamente. E as Nações Unidas estimam que nós adicionaremos outros quatro bilhões–num total de 11 bilhões–até o final do século. Apesar disso, poucos cientistas, legisladores, ou até mesmo ambientalistas estão dispostos a admitir publicamente que o inacreditável crescimento da população esteja agravando a mudança climática, a perda da biodiversidade, a escassez de recursos, ou a crise ambiental global em geral. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13527 2014-07-11T18:35:00Z 2014-07-11T18:52:26Z O número de borboletas-monarcas migrantes atinge baixos níveis <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0715Monarch150.jpg" align="left"/></td></tr></table>De acordo com a WWF-México, a população de borboleta-monarca que passou o inverno no México neste ano atingiu o menor nível já registrado. Elas abrangeram apenas 0,67 hectares de floresta no México, uma queda de 44% em comparação à 2012, que já tinha apresentado uma população já perigosamente baixa. Para se ter uma ideia, a abrangência média de monarcas entre 1994 a 2014 foi de 6,39 hectares ou cerca de vezes mais do que a registrada neste ano. Durante anos, os ambientalistas temeram que o desmatamento no México pudesse resultar no fim da migração da borboleta, mas agora os cientistas afirmam que as mudanças agrícolas e políticas nos Estados Unidos e Canadá - inclusive as relativas à produção agrícola derivada de organismos geneticamente modificados (OGM) e à destruição de habitats - estão refreando uma das maiores migrações do mundo. Brittany Stewart 19.082884 -101.426697 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13514 2014-07-09T15:45:00Z 2014-07-09T16:14:14Z Uma estratégia decisiva para o lémure: cientistas propõem plano ambicioso para preservar a conservar a família de mamíferos mais ameaçada do mundo <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0220.madagascar_0066.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Devido às maravilhosas idiossincrasias da evolução, existe um país na Terra que alberga 20% dos primatas de todo o mundo. Ainda mais espantoso, cada um destes primatas - na verdade, uma família inteira distinta - não se encontra em mais nenhum lugar do mundo. O país é, naturalmente, o Madagáscar e os primatas em causa são, naturalmente, os lémures. Mas a remota ilha de Madagáscar, em tempos um porto seguro para experiências evolucionárias, transformou-se num pesadelo ecológico. Superpopulação, pobreza profunda, instabilidade política, agricultura itinerante, abate de árvores para o lucrativo negócio madeireiro e um comércio florescente de carne de animais selvagens colocou 94 por cento dos lémures do mundo sob ameaça de extinção, fazendo deles os mamíferos mais ameaçados do planeta. Mas, com vista a estancar esta rápida marcha em direcção à extinção, os conservacionistas publicaram agora na revista <i>Science</i> um plano de emergência a três anos para preservar trinta importantes florestas de lémures. Brittany Stewart -18.659257 48.441009 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13506 2014-07-08T17:52:00Z 2014-07-08T18:02:24Z Pesca de arrasto: o destrutivo método de pescaria está transformando os leitos dos oceanos em “desertos” <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0528-nematode-thumb.jpg" align="left"/></td></tr></table>A pesca de arrasto é uma prática realizada pela indústria da pesca no mundo todo, na qual uma grande e pesada rede é arrastada ao longo do fundo do oceano para recolher tudo o que estiver em seu caminho. Pesquisas anteriores associaram a pesca de arrasto a impactos ambientais relevantes, como a captura de grandes quantidades de espécies não visadas, chamadas coletivamente de “capturas acessórias”, assim como a destruição de leitos de águas rasas. Uma nova pesquisa publicada em ações pela </i>Proceedings of the National Academy of Sciences</i> revelou que esse método também está provocando consequências de longo prazo e alcance no fundo do oceano e além. Brittany Stewart -0.010986 -20.714111 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13483 2014-07-02T16:30:00Z 2014-07-02T16:38:45Z Rãs são afetadas por estradas para transporte de petróleo na Amazônia <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0114.0043595_imgp5387-edit.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>De acordo com novo artigo publicado na revista científica Plos One, as estradas construídas em áreas remotas da Amazônia para transporte de petróleo, frequentemente divulgadas como de baixo impacto, estão, na realidade, causando grande impacto em rãs que habitam o dossel superior da floresta. No Parque Nacional Yasuní, Equador, as bromélias crescem no tronco de gigantescas árvores que ultrapassam a copa da floresta e podem conter até quatro litros de água parada. Analisando com minúcia, os pesquisadores descobriram grande diversidade de vida dentro destas micro piscinas, inclusive várias espécies de rãs. No entanto, embora vivam em habitats mais alto do que 50 metros de altura, o novo estudo aponta que a proximidade de estradas para transporte de petróleo diminui a população dessas rãs. Brittany Stewart -1.124996 -75.79196 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13478 2014-07-01T19:03:00Z 2014-07-02T15:30:29Z Armadilha fotográfica captura pela primeira vez vídeo de um pássaro raramente visto na Amazônia ... e muito mais <table align="left"><tr><td><img src=" http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/1107.Mosquera--Nocturnal-curassow.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Um programa de armadilha fotográfica sitiou o Parque Nacional Yasuni, no Equador, e ganhou fama no que os pesquisadores acreditam ser o primeiro filme já feito sobre um urumutum noturno selvagem (<i>Nothocrax urumutum</i>). Além disso, o programa capturou o vídeo de outros animais raramente vistos, incluindo o cachorro-do-mato-de-orelhas-curtas e o tatu gigante. Brittany Stewart -0.637516 -76.148906 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13446 2014-06-25T17:32:00Z 2014-06-25T17:46:41Z Cerca de 90% da extração de madeira na República Democrática do Congo (RDC) é ilegal <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0408.754px-Congo_maluku.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>De acordo com novo relatório que traz revelações surpreendentes, o setor de silvicultura na RDC está completamente fora de controle. Elaborado pela Chatham House, o relatório estima que pelo menos 87% da exploração madeireira ocorrida na República Democrática do Congo em 2011 seja ilegal, fazendo dela, talvez, o país com maior nível de risco para quem deseja comprar produtos de madeira legal. Brittany Stewart -1.809386 21.981180 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13444 2014-06-25T16:10:00Z 2014-06-25T17:12:01Z Poderá o óleo de palma superar a sua má reputação? <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0303RI1_0093a150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O setor de óleo de palma da Indonésia ganhou uma reputação notória nos anos recentes. As companhias de óleo da palma são acusadas, rotineiramente, pelo desmatamento das florestas primárias, destruindo os habitats de espécies ameaçadas, liberando quantidades maciças de carbono pela drenagem dos pântanos turfosos e alimentando conflitos de terra com comunidades locais. Diante da difusão dessa crítica, algumas companhias de óleo da palma estão explorando alternativas para limparem as suas operações, implementando programas inovativos para minimizar o dano ao ambiente e assegurando que as comunidades locais se beneficiem dos investimentos em óleo de palma, de acordo com um recente estudo. Brittany Stewart -0.048065 102.042968 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13406 2014-06-18T18:33:00Z 2014-06-18T19:42:00Z Companhia petrolífera rompe acordo e constrói grandes estradas na floresta tropical de Yasuni <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/1112-5_Karla.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Ao aprovar licenças para uma companhia petrolífera perfurar mais fundo no Parque Nacional de Yasuni em uma área conhecida como Bloco 31, o governo do Equador estabeleceu a condição de que a companhia assumiria um projeto sem estradas para fazer a maioria do trabalho de transporte. No entanto, um novo relatório baseado em imagens de satélite de alta resolução revelou que a companhia em questão, a Petroamazonas, ignorou as condições do acordo ao construir um acesso rodoviário imenso, pelo menos uma ponte fixa, e ao cortar mais árvores do que o permitido. O problema é especialmente relevante pois a Petroamazonas foi premiada com licenças adicionais de petróleo para o conturbado bloco da Ishpingo-Tambococha-Tiputinin (ITT) de Yasuni, aparentemente sob as mesmas condições, sem estradas, exatamente no mês passado. Brittany Stewart -0.942388 -75.716907 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13400 2014-06-17T18:33:00Z 2014-06-17T18:58:38Z Represas polêmicas podem ter intensificado o dilúvio de proporções bíblicas na Amazônia <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0319bolivia-flood150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Ambientalistas e cientistas protestaram veementemente contra a proposta de construção das Usinas de Santo Antônio e Jirau, na Amazônia Ocidental, Brasil, alegando, entre outros fatores, que os reservatórios poderiam elevar o nível da água no Rio Madeira, causando, possivelmente, enchentes catastróficas. Parece que tinham razão: na semana passada, a Justiça Federal do Brasil determinou que fosse realizado um novo estudo sobre os impactos ambientais causados pelos reservatórios, visto haver desconfianças de que as barragens tenham piorado as enchentes no Brasil e na fronteira com a Bolívia. Brittany Stewart 9.1600 64.3857 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13379 2014-06-13T17:59:00Z 2014-06-13T18:10:52Z Ecoturismo compensa: estudo revela baixa pobreza onde o turismo baseado na natureza predomina <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/cr/150/costa_rica_aerial_0375.jpg" align="left"/></td></tr></table>Um novo estudo quantificou um ponto defendido há muito tempo por aqueles que advogam que as áreas protegidas devem ser deixadas de lado: o ecoturismo compensa. A pesquisa, publicada na revista científica americana <i>Proceedings of the National Academy of Sciences</i> (PNAS), mostra que na Costa Rica, as comunidades vizinhas às áreas de conservação possuíam índices de pobreza relativa menores do que as outras áreas. Os autores – os economistas Paul J. Ferraro da Georgia State University e Merlin M. Hanauer, da Sonoma State University – atribuem a maioria dos benefícios às oportunidades proporcionadas pelo turismo. Brittany Stewart 10.310697 -84.796779 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13354 2014-06-06T15:19:00Z 2014-06-06T15:43:50Z Formigas plantam florestas tropicais, semente por semente <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0414-antseed-thumb.JPG" align="left"/></td></tr></table>O desmatamento está destruindo florestas em todo o mundo, mas seus efeitos são ainda mais evidentes na Bacia Amazônica. Devido à criação de gado, cultivo de soja, exploração madeireira e queimadas, a floresta tropical está desaparecendo num ritmo rápido. Em 2011, a mongabay.com relatou que uma colossal porcentagem de 52,7% das árvores bolivianas foram cortadas, uma das maiores taxas de desmatamento do mundo. Mas um estudo recente publicado no Jornal de Ecologia oferece uma solução única para reflorestar as paisagens desmatadas: formigas. Brittany Stewart -11.216606 -67.295734 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13350 2014-06-06T12:22:00Z 2014-06-06T12:41:00Z 35 fotos do comércio de barbatana de tubarão que irão chocá-los <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0122Shawn_Heinrichs_Kesennuma_Japan150.jpg" align="left"/></td></tr></table>No mês passado, cientistas divulgaram um estudo em que chamavam a atenção para o fato de que um quarto dos tubarões e arraias corre risco de extinção. A pesquisa, publicada em 21 de janeiro na revista científica de acesso livre, <i>eLife</i>, foi resultado da colaboração entre 300 cientistas de 64 países. Concluiu-se que a pesca predatória é a maior ameaça para a maioria das espécies, constatando que 73 milhões de tubarões morrem, por ano, somente por causa da barbatana. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13348 2014-06-05T20:13:00Z 2014-06-05T20:25:09Z A vasta floresta tropical da Amazônia está dominada por poucas espécies de arvores <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1112tersteege1HR150.jpg" align="left"/></td></tr></table>A floresta tropical da Amazônia é tão vasta e tão diversa, que perguntas aparentemente simples – como quais espécies de arvores são as mais comuns – ainda não tem resposta. Pesquisadores estão finalmente virando a ver a floresta <i>e</i> as arvores depois de que uma colaboração internacional de 120 científicos se juntaram para compilar a maior enquete montada até hoje sobre a Amazônia. Brittany Stewart -2.480761 -60.387926 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13342 2014-06-04T16:52:00Z 2014-06-04T17:00:05Z O preço chocante do comércio de marfim: em 12 anos, 65% dos elefantes-da-floresta do mundo foram mortos (aviso: imagem forte) Ao longo da última década, os elefantes-da-floresta têm sofrido um massacre sem precedentes por causa das suas presas de marfim, de acordo com novos dados fornecidos por conservacionistas em Londres, no passado mês de Fevereiro. Sessenta por cento dos elefantes-da-floresta do mundo foram chacinados por caçadores furtivos nos últimos doze anos, a um ritmo assombroso anual de nove por cento da população a ser morta dessa forma. Um estudo genético de 2010 concluiu que os elefantes-da-floresta, menos conhecidos do que os seus primos da savana, são na verdade uma espécie distinta, tão afastados dos elefantes da savana como os elefantes asiáticos são dos mamutes. Esta descoberta torna a crise do elefante-da-floresta ainda mais urgente. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13341 2014-06-04T16:20:00Z 2014-06-04T16:32:37Z Revolucionário sistema de apoio da Google revela poder da “big data” para salvar florestas <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0220wri01_150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O World Resources Institute (WRI) anunciou no dia 14 de fevereiro desse ano o lançamento de uma ferramenta que promete revolucionar o monitoramento florestal. A plataforma, chamada Global Florest Watch, desenvolvida ao longo de muitos anos com mais de 40 parceiros, extrai uma grande variedade de “big data” relacionados às florestas mundiais e os traduz em mapas interativos e gráficos que revelam tendências de desflorestamento, recuperação florestal e expansão da silvicultura industrial. O Global Forest Watch é a primeira ferramenta que monitora as florestas mensalmente, permitindo que autoridades e conservacionistas possam agir contra o desflorestamento à medida que ele ocorre. Brittany Stewart 38.899016 -77.008048 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13325 2014-06-02T15:55:00Z 2014-06-02T16:04:51Z Aves extintas da Amazônia ao poucos retornam em bando à floresta na ocorrência de reflorestamento natural <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1113bird-in-hand150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Algumas boas notícias vindas da floresta amazônica: se dado tempo suficiente, terras desmatadas podem se recuperar o suficiente para acolher de volta as espécies de aves que haviam desertado, de acordo com um estudo recente pela “<i>The Auk</i>” (Revista Trimestral de Ornitologia). Brittany Stewart -1.572907 -60.234972 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13312 2014-05-29T17:54:00Z 2014-05-29T18:16:24Z Malásia tem o índice mais alto de desflorestamento, revela mapa florestal da Google <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1115-malaysian-borneo150.gif" align="left"/></td></tr></table>A Malásia teve o maior índice de perda florestal no mundo entre os anos 2000 e 2012, de acordo com um novo mapa mundial de florestas desenvolvido em parceria com a Google. O total das perdas florestais na Malásia durante o período totalizou 14,4 por cento da sua área de cobertura florestal no ano 2000. A perda se traduz em 47.278 quilômetros quadrados, uma área maior que a Dinamarca. Brittany Stewart 3.414725 114.223137 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13304 2014-05-28T20:26:00Z 2014-05-28T20:34:20Z Caçadores e desflorestação põem em risco sobrevivência de estranho porco-espinho <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/1215.porcupine.brazil.tcs.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O ouriço-preto, também conhecido como jaú-torino, é um animal verdadeiramente distinto: uma espécie de cruzamento entre porco-espinho do Novo Mundo e rato-de-espinho, que a investigação genética aponta como mais próximo do primeiro do que do segundo. Mas as actividades humanas estão a pôr em risco o ouriço-preto (<i>Chaetomys subspinosus</i>), encontrado somente na Mata Atlântica do Brasil. Na verdade, um novo estudo da Tropical Conservation Science, a publicação de acesso livre do mongabay.com, concluiu que a espécie continua a ser um alvo para os caçadores, apesar da reputação de ter um gosto terrível. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13298 2014-05-28T14:14:00Z 2014-05-28T14:36:40Z 50 mil quilômetros de estradas construídas na Amazônia brasileira em 3 anos As estradas estão se expandindo rapidamente de lado a lado da Amazônia brasileira, abrindo as longínquas florestas tropicais para madeireiros, mineiros, criadores, fazendeiros e especuladores de terras, é o que revelou um novo estudo publicado no periódico <i>Regional Environmental Change</i> (Mudança Ambiental Regional). Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13294 2014-05-27T20:01:00Z 2014-05-27T20:10:21Z Novo porco-espinho montês é descoberto no Brasil (fotos) <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/1209.Coendou-baturitensis---Foto-Hugo-Fernandes-Ferreira.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>De acordo com novo artigo publicado na Revista Nordestina de Biologia, os cientistas descobriram uma nova espécie de porco-espinho de cauda preênsil, na Serra do Baturité, Brasil. Batizado de porco-espinho-de-baturité (<i>Coendou baturitensis</i>), a nova espécie foi identificada quando os cientistas perceberam significativas diferenças entre ele e seu parente mais próximo, o porco-espinho brasileiro (<i>Coendou prehensilis</i>). O termo "cauda preênsil" refere-se aos porcos-espinho de cauda longa e invertebrada, usada como um quinto membro para escalar árvores com agilidade. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13272 2014-05-22T16:41:00Z 2014-05-22T18:06:41Z Como o apoio da Google, mapeamento florestal de alta resolução revela desmatamento massivo no mundo <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1114-umd150.gif" align="left"/></td></tr></table>Os pesquisadores lançaram, hoje, a tão aguardada ferramenta que revela a dimensão da perda e do ganho de cobertura florestal em escala global. Com o suporte da computação em nuvens da Google, o mapa interativo da floresta estabelece uma nova base para o cálculo do desmatamento e da recuperação florestal em todos os tipos de países, biomas e florestas do mundo. Brittany Stewart 37.422032 -122.084039 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13264 2014-05-21T17:43:00Z 2014-05-21T18:06:42Z Terra Animal: explorando a biodiversidade oculta do nosso planeta <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/1203.piper.P248.tif.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>A maioria das espécies da Terra nunca é vista por nós. Na verdade, não sabemos como elas são, muito menos quão espetaculares elas são. Em geral, as pessoas conseguem identificar apenas algumas espécies que habitam seus quintais, e ainda menos aquelas de outros continentes. Essa desconexão provavelmente impede que o público em geral se relacione com a biodiversidade e, como consequência, com a perda dele. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13262 2014-05-21T16:13:00Z 2014-05-21T17:31:41Z Cargill comprometida com desflorestação zero, mas ambientalistas levantam questões <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay/sabah/150/sabah_1847.jpg" align="left"/></td></tr></table>Após anos de críticas de organizações ambientalistas, a empresa Cargill anunciou que irá estabelecer políticas para eliminar a desflorestação, a conversão de turfeiras e os conflitos sociais da sua cadeia de fornecimento de óleo de palma. Mas os acitivistas ainda não estão convencidos do compromisso do gigante da indústria agroalimentar. Brittany Stewart 3.844511 103.339071 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13253 2014-05-20T18:47:00Z 2014-05-20T18:59:45Z 3,5 milhões de hectares das florestas da Indonésia e Malásia serão convertidos em óleo de palma em 20 anos <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1112-oilpalm-forest-malaysia150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Cerca de 3,5 milhões de hectares (8,7 milhões de acres) de florestas na Indonésia, Malásia e Papua-Nova Guiné foram convertidas para o plantio da palma entre 1990 e 2010, de acordo com uma série de avaliações divulgadas pela Mesa Redonda do Óleo de Palma Sustentável (RSPO na sigla em inglês). Brittany Stewart -1.711553 103.395569 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13238 2014-05-16T16:13:00Z 2014-05-16T16:19:08Z “Ainda outra alerta”: aquecimento global está aqui, foi causada pelo homen, e não estamos fazendo o suficiente para pará-lo <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0928.Wildfire_in_California.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Açoẽs humanas são responsáveis pelo aquecimento global, reconfirma um relatório importante do Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas (IPCC) que foi divulgado hoje. O primeiro relatório gigantesco sobre a ciência física do aquecimento global publicado em 7 anos. Cientistas falaram que agora estão com 95 á 100 porcento de certeza que açoẽs humanas—como a queima de combustíveis fósseis e o abate de florestas—são responsáveis pelo aumento observado em temperaturas global desde o ano de 1950. A média das temperaturas aumentaram 0,85 graus desde 1880, mas o relatório novo alerta que dependendo de quanto mais decombustíveis fósseis forem queimados, aumento em temperaturas podem exceder 4 graus celcius (9 graus fahrenheit) com consequências inauditas para a sociedade global. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13237 2014-05-16T15:54:00Z 2014-05-16T16:06:04Z Exploração de ouro tem repentino aumento de 400% na Floresta Amazônica <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay/peru/150/peru_aerial_1475.jpg" align="left"/></td></tr></table>A mineração de ouro na Amazônia peruana teve um crescimento repentino de 400% desde 1999 devido a fatores como a disparada nos preços do ouro e às devastações causadas nas florestas e nos rios locais, conclui um novo estudo publicado na revista <i>Proceedings of the National Academy of Sciences</i> (PNAS). Brittany Stewart -12.768277 -70.545387 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13208 2014-05-12T14:33:00Z 2014-05-12T14:42:16Z Cientista divide gigantes da Amazônia em espécies distintas Não há como nos enganarmos quando vemos um piracuru (arapaima): eles são maciços, bem protegidos, com respiração aérea (eles têm que vir à tona a cada poucos minutos). Eles são a megafauna dos rios da Amazônia. Mas, apesar de serem inconfundíveis, e o fato que eles têm sido caçados pelas populações indígenas por milhares de anos, os cientistas sabem relativamente pouco sobre o arapaima, incluindo quantas espécies existem. Desde a metade do século 19, os cientistas agruparam todo os tipos de arapaima em uma única espécie: Arapaima gigas. Todavia, em dois estudos recentes, a Copeia (publicação periódica referente à ictiologia e herpeteologia) dividiu os arapaimas em, no mínimo, 5 espécies – e outras poderão surgir. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13186 2014-05-06T14:00:00Z 2014-05-06T14:10:49Z Europa importa mais óleo de palma para a produção de biocombustíveis, aumentando os riscos para as florestas tropicais <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay/sabah/150/sabah_2148.jpg" align="left"/></td></tr></table>As importações de óleo de palma para a Europa para uso como combustível de automóveis aumentou em mais de três vezes desde 2006, levantando preocupações que as metas para combustíveis renováveis podem estar contribuindo para o desmatamento, deslocamento de populações locais marginalizadas, e impulsionando as emissões de gases de efeito estufa no Sudeste da Ásia, averigua um novo estudo publicado pelo Instituto Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (IISD, sigla em inglês). Brittany Stewart 50.845839 4.36693 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13179 2014-05-05T15:22:00Z 2014-05-05T15:26:50Z 40% da área rural do Brasil pertence a 1.4% dos proprietários Uma pesquisa conduzida por um grupo de ONGs brasileiras revelou que quarenta por cento dos 509 milhões de hectares de terra classificadas como “propriedade rural” no Brasil pertencem a 1.4 por cento de vivendas rurais. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13167 2014-05-02T16:49:00Z 2014-05-02T17:04:24Z O Brasil pode aumentar a produção agrícola sem destruir florestas <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1203-brazil-deforestation150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O Brasil pode aumentar sua produção agrícola significativamente enquanto melhora a proteção de seus ecossistemas nativos, revela uma nova análise publicada pela Climate Policy Initiave (CPI), uma think tank internacional. Brittany Stewart -11.501557 -53.48465 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13149 2014-04-29T14:10:00Z 2014-04-29T14:24:00Z Exploração madeireira ilegal continua desenfreada no Brasil A exploração madeireira ilegal, que continua se espalhando no estado do Pará, foi objeto de uma avaliação divulgada pela ONG Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia). Brittany Stewart -1.984009 -50.754116 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13143 2014-04-28T15:50:00Z 2014-04-28T16:04:31Z Novo sistema de priorização de espécies de mamíferos brasileiros colocam em evidência primatas e roedores pouco conhecidos <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0927brazil150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Cientistas têm utilizado um sistema de priorização de espécies para os mamíferos do Brasil a fim de deduzir quais delas devem ser o foco dos esforços de conservação nos próximos anos, o que se encontra documentado em um artigo publicado na revista de acesso aberto Tropical Conservation Science, do mongabay.com. Brittany Stewart -9.968851 -53.100588 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13112 2014-04-21T19:05:00Z 2014-04-21T19:41:15Z Jaguares do Chaco argentino à beira da extinção local <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1216jaguar150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O majestoso jaguar (<i>Panthera onca</i>), o maior dos felinos do Novo Mundo, estende-se desde o sul dos EUA até ao norte da Argentina. No passado, os jaguares chegavam até mais 1500 km para sul, mas o seu alcance tem diminuído com o acelerar da perda de habitat e interferência humana. De modo geral, os jaguares estão classificados como espécie Quase Ameaçada (NT) pela IUCN, mas o nível de risco que enfrentam varia de região para região. As populações que vivem na Argentina, no actual limite sul, foram identificadas como sendo algumas das mais ameaçadas de todas. Brittany Stewart -26.667096 -60.959474 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13089 2014-04-16T17:57:00Z 2014-04-16T18:13:01Z Exclusivo: Fotografias aéreas impressionantes revelam que o Equador está a abrir estradas no coração da floresta húmida mais rica do mundo (Parque Nacional Yasuni) <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1112-1_IVAN_150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Em Agosto de 2012 os fotógrafos profissionais Ivan Kashinsky e Karla Gachet estavam em missão para a National Geographic no Parque Nacional Yasuní, a floresta com maior biodiversidade do mundo. Durante a sua estadia, fizeram uma sessão de fotografia sobrevoando uma área conhecida como Bloco 31 (ver mapa), uma concessão de petróleo controversa localizada no coração do parque, no preciso momento em que a companhia estatal de petróleo, Petroamazonas, abria secretamente um novo acesso. Brittany Stewart -1.175455 -75.709927 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13052 2014-04-11T19:18:00Z 2014-04-11T19:21:13Z Tribo da Floresta Amazônica vende créditos do REDD+ para gigante brasileira de cosméticos Os Paiter-Suruí, uma tribo da floresta Amazônica, que em junho tornou-se o primeiro grupo indígena a gerar créditos do REDD+, através do Verified Carbon Standard (VCS), já fechou seu primeiro negócio. Conforme relatado pelo Ecosystem Marketplace, a Natura Cosméticos, uma mega fabricante de cosméticos brasileira, adquiriu 120.000 toneladas de créditos de carbono a partir do Projeto de Carbono Florestal Suruí, no estado de Rondônia, Brasil Brittany Stewart -3.381824 -57.619171 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13046 2014-04-07T16:33:00Z 2014-04-07T16:49:40Z A culpa é dos humanos: novo estudo prova que pessoas mataram as aves gigantes da Nova Zelândia <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/14/0317.800px-Euryapteryx.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>As moas eram um grupo diverso de aves que não voavam, mas dominavam a Nova Zelândia até a chegada dos humanos. A maior delas alcançava cerca de 3,5 metros de altura com o pescoço esticado. Apesar de toda a família das moas – com nove espécies – ter desaparecido logo após a chegada das pessoas no século 13 na Nova Zelândia, há muito tempo cientistas vêm debatendo por que essas aves enormes foram extintas. Algumas teorias apontavam que as aves já estavam em declínio devido a mudanças ambientais e atividades vulcânicas antes dos humanos pisarem nas praias neozelandesas. Mas um estudo lançado no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) revela que não há evidências desse declínio, e aponta diretamente para nós. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13030 2014-04-03T20:21:00Z 2014-04-03T20:36:18Z Os vídeos produzidos pela armadilha fotográfica poderiam estimular o mundo a proteger o Yasuní da perfuração de petróleo? <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/1107.Mosquera-Jaguar.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Mesmo dez anos atrás, teria sido impossível imaginar imagens bem claras de um jaguar caminhando lenta e penosamente ao longo da impenetrável Amazônia, um porco-espinho-de-cauda-preênsil-bicolor (Coendou bicolor) se equilibrando em um galho, um bando de macacos-aranha se alimentando em um barranco de argila ou um grupo de quatis saindo correndo, um por um, da densa folhagem. São coisas que até mesmo pesquisadores que gastam uma vida inteira na Amazônia podem nunca ver. Agora, qualquer um pode: cientistas da Estação de Biodiversidade Tiputini começaram a usar recentemente, no Parque Nacional Yasuní do Equador, vídeos da armadilha fotográfica para registrar imagens de animais que poucas pessoas poderão ver durante suas vidas. Os vídeos — após anos da armadilha fotográfica por fotos — fornecem uma visão reveladora de um mundo cada vez mais ameaçado pela indústria do petróleo. Brittany Stewart -0.638117 -76.149784 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13004 2014-03-28T21:56:00Z 2014-03-28T21:57:04Z Espécie ignorada: o primata quase extinto que corre o risco de levar um tiro quando avistado <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0926.Ppepieni9.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>A atenção dada aos populares e carismáticos primatas – como os gorilas, chimpanzés, orangotangos, micos-leões, e até alguns lêmures–poderia fazer-nos supor que os conservacionistas têm domínio sobre a proteção dos nossos parentes próximos; o fato espantoso que nenhuma espécie primata tenha sido extinta nos últimos cem anos ( apesar da destruição em larga escala dos seus habitats) parece confirmar essa afirmação. Todavia, ao olharmos mais atentamente às informações, veremos que não somente muitos deles estão fadados à extinção, mas um significativo número tem recebido pouca atenção no que se refere à sua conservação. De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, ou Lista Vermelha das Espécies Ameaçadas, assombrosos 48 por cento dos primatas no mundo estão ameaçados de extinção: esse é um percentual pior do que dos anfíbios, os quais têm sido devastados por uma epidemia global. E muito embora um punhado dos mais de 600 primatas do mundo tenham conquistado adoração pela conservação, muitos permanecem na obscuridade. Ninguém mais do que o macaco colobus vermelho do Delta do Níger (Procolobus epieni), que de acordo com pesquisas em curso feitas por biologistas na Nigéria, podem contar com menos de 500 exemplares – e ainda não estão protegidos sob a lei nigeriana. Brittany Stewart 5.226349 6.29631 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13007 2014-03-28T20:49:00Z 2014-03-28T21:11:41Z Cientistas fazem uma das maiores descobertas animais do século – uma nova anta <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/1216.newtapir.SUNP0052.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Os cientistas anunciaram hoje a descoberta de uma nova espécie de anta no Brasil e na Colômbia que provavelmente será considerada uma das maiores descobertas zoológicas (literalmente) do século XXI. O novo mamífero, escondido da ciência, porém conhecido pelas tribos indígenas locais, é na verdade um dos maiores animais do continente, embora seja a menor das antas viventes. Descrita no Journal of Mammalogy, cientistas nomearam a nova anta <i>Tapirus kabomani</i>, por causa do nome dado à anta na língua Paumari: "Arabo kabomani". Brittany Stewart -4.609278 -69.810333 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/13000 2014-03-28T15:44:00Z 2014-03-28T15:53:42Z Mais de 700 espécies adicionadas nas categorias de ameaça da Lista Vermelha da IUCN (fotos) <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0702.10_GiantRiverPrawn_Macrobrachiumrosenbergii_ChrisLukhaup.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Como novo sinal de crise da biodiversidade mundial, a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) incluiu, na atualização deste ano, 715 espécies nas categorias de ameaça, segundo os níveis “Vulnerável”, “Em perigo” ou “Em Perigo Crítico”. Algumas dessas espécies foram avaliadas pela Lista Vermelha da IUCN pela primeira vez, enquanto outras viram suas condições se deteriorarem, como o porco-do-mato (<i>Tayassu pecari</i>) que foi listado agora como espécie "Vulnerável" devido à caça indiscriminada, ao desmatamento e, possivelmente, a doenças. Até agora, a Lista Vermelha já avaliou 70.923 espécies mundiais - incluindo quase todos os mamíferos, pássaros e anfíbios -, das quais 20.934 são consideradas como ameaçadas. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12999 2014-03-28T15:23:00Z 2014-03-28T15:39:26Z Vídeo de devastação causada por mineração de ouro torna-se viral no Peru <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0926screencap150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Um vídeo, mostrando operações ilegais de mineração de ouro que transformaram parte da Amazônia em uma paisagem lunar, tornou-se viral no Youtube depois que um conhecido jornalista de rádio e TV chamou atenção para o caso. Brittany Stewart -13.028976 -70.550473 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12913 2014-03-11T15:58:00Z 2014-03-11T16:03:28Z Minúsculo bagre descoberto no Brasil Cientistas descobriram uma nova espécie de peixe bagre no Rio Paraíba do Sul, sudeste do Brasil. Brittany Stewart -22.764152 -44.598511 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12896 2014-03-07T19:53:00Z 2014-03-07T20:04:37Z Activistas voltam-se para os grandes fabricantes de comida devido a óleo de palma "de conflito" <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0912palm150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Activistas ambientais lançaram uma grande campanha dirigida a 20 das maiores empresas de refeições rápidas que usam óleo de palma nos seus produtos. A campanha, conduzida pela Rainforest Action Network (RAN), afirma que os gigantes da indústria alimentar não se certificam que o óleo de palma que utilizam não conduz à desflorestação nem agrava conflitos sociais. Brittany Stewart 41.877997 -87.632158 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12867 2014-03-03T20:49:00Z 2014-03-03T21:06:49Z Malásia desmata reservas florestais para madeira e óleo de dendê <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0925.perak.P7170360.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Em julho de 2013, a Reserva Florestal Permanente Bikam, no estado de Perak, na Malásia, foi desclassificada, permitindo que ela fosse liberada para plantação de óleo de dendê. Tão somente após a floresta ter sido devastada é que o Instituto Florestal de Pesquisas da Malásia, (FRIM, na sigla em inglês) anunciou que lá existiram os últimos exemplares da espécie keruing paya (<i>Dipterocarpus coriaceus</i>) da península da Malásia; árvore grande de textura compacta, e classificada como Gravemente Ameaçada de Extinção na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Agora, tal espécie supostamente extinta na Malásia, ainda pode ser encontrada na Indonésia. Brittany Stewart 5.140186 101.18866 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12866 2014-03-03T20:29:00Z 2014-03-03T20:37:04Z Novos mapas globais identificam as área prioritárias para a conservação <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0625.mapbiodiversity.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Qual região do planeta possui mamíferos com maior risco de extinção? Onde é encontrada a maioria das espécies de pássaros? E onde novos anfíbios estão sendo descobertos? Indonésia e Malásia é a resposta para a primeira pergunta; Amazônia, para a segunda; e Cordilheira dos Andes, para a terceira. Um novo estudo, publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), utilizou dados globais de 21.000 mamíferos, pássaros e anfíbios para produzir extraordinários mapas que identificam áreas prioritárias para a conservação, até então relegadas. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12865 2014-03-03T20:01:00Z 2014-03-21T15:22:39Z Mudança climática pode destruir as florestas montanhosas andinas, lar de milhares de espécies endêmicas <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0918.7063224263_2b4fec9cdc_c.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Um dos ecossistemas mais ricos do planeta talvez não sobreviva a um clima mais quente sem ajuda humana, de acordo com um novo e preocupante estudo do jornal online PloS ONE. Embora sejam menos estudadas do que as florestas tropicais de terras baixas, as florestas montanhosas andinas são conhecidas por abrigar explosões de vida, incluindo milhares de espécies endêmicas. Muitas dessas espécies, de graciosas samambaias a belas orquídeas e pequeninos sapos, proliferam-se em pequenas extensões que dependem das temperaturas. Mas o que acontece quando o clima sofre aquecimento? Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12845 2014-02-27T18:33:00Z 2014-02-27T18:42:06Z Satélite de dados do Brasil indica aumento no desmatamento da Amazônia no ano passado <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/bprodes-deter-inpe-brazil150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O desmatamento na Amazônia brasileira parece ter aumentado significativamente durante o ano passado, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Brittany Stewart -3.417466 -59.342866 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12844 2014-02-27T18:16:00Z 2014-02-27T18:24:33Z Reação negativa: a acidificação dos oceanos piora o aquecimento global Como se a acidificação dos oceanos e as mudanças climáticas não estivessem incomodando o bastante (sendo que ambos os fenômenos são causados pelo aumento das emissões de carbono), uma nova pesquisa publicada na revista <i>Nature</i> descobriu que a acidificação dos oceanos acabará por agravar o aquecimento global, aumentando ainda mais a temperatura da Terra. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12833 2014-02-26T21:09:00Z 2014-02-26T21:31:50Z Terá o Brasil virado costas às suas políticas ambientais progressivas? <table align="left"><tr><td><img src="http://travel.mongabay.com/brazil/150/brazil_0507.jpg" align="left"/></td></tr></table>No ano passado, o Brasil voltou atrás em partes cruciais do seu importante Código Florestal, deixando potencialmente abertas para a destruição, vastas faixas de floresta; apesar da condenação internacional e dos conflitos com os povos indígenas, está também a avançar a futura construção de uma série de barragens no Amazonas, incluindo a infame Belo Monte. Entretanto um novo projecto de lei propõe um alargamento das actividades de mineração em larga escala nas zonas protegidas. Um novo artigo, publicado no jornal de acesso livre da mongabay.com, Tropical Conservation Science, argumenta que o Brasil rejeitou o seu admirável pacote de legislação ambiental, colocando em perigo centenas de milhares de espécies, no país com maior biodiversidade do planeta. Brittany Stewart -15.80001 -47.864525 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12814 2014-02-21T21:39:00Z 2014-02-21T22:09:52Z Próxima grande ideia na conservação florestal? Usar drones para flagrar caçadores e monitorar florestas <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/14/0124Stitchedaerial-photosfromdrone150.jpg" align="left"/></td></tr></table>No sopé do Himalaia, elefantes, rinocerontes e tigres se movimentam nas florestas verdes. Proteger e monitorar esses animais e a saúde das florestas tropicais pelo mundo é um desafio significativo, que muitas vezes exige grandes quantidades de tempo, dinheiro e riscos. Felizmente, uma nova ferramenta acessível está surgindo na esfera da conservação: veículos aéreos autônomos, ou drones. Brittany Stewart 28.372069 81.488128 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12813 2014-02-21T21:27:00Z 2014-02-21T22:12:33Z Degradação ambiental leva a crise na saúde pública, diz pesquisa <table align="left"><tr><td><img src=" http://mongabay.s3.amazonaws.com/india/150/india_0155.jpg" align="left"/></td></tr></table>Uma abordagem “sistemática e abrangente” é necessária para entender o impacto do comportamento humano na saúde pública do mundo, de acordo com um novo relatório. Escrito pelo consórcio Heal (Health & Ecosystems Analysis of Linkages – Análises de Vínculos entre Saúde e Ecossistemas), o estudo destaca vários exemplos do impacto na saúde humana da degradação ambiental, incluindo doenças, mortes e até a redução do QI na infância. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12784 2014-02-17T20:36:00Z 2014-02-17T20:45:50Z Exército Brasileiro enfrenta madeireiros ilegais para proteger tribo quase extinta O Brasil lançou uma campanha militar para expulsar os madeireiros ilegais que trabalham próximo a reserva indígena dos Awá, segundo a Survival International. Habitantes da floresta amazônica no nordeste do Brasil, apenas cerca de 450 Awá, também conhecidos como Guajá, sobrevivem hoje e cerca de um quarto dessa tribo vive em isolamento voluntário. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12771 2014-02-12T20:59:00Z 2014-02-12T22:16:00Z Taxas De Desmatamento Para Países Amazônicos Fora Do Brasil <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0626-amazon-deforestation-accumulated-by-country-150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Pesquisadores da Terra-i e equipe InfoAmazonia de O-Eco desenvolveram mapas atualizados de coberturas florestais para a Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela. Os resultados revelam uma tendência de aumento no desmatamento de florestas desde 2004. Brittany Stewart -10.833306 -71.7334 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12747 2014-02-07T16:51:00Z 2014-02-07T16:58:30Z Cientistas flagram jiboia devorando um bugio (fotos) <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0902.boahowler.Imagem-338.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Em feito inédito, cientistas fotografaram e filmaram uma jiboia (Boa constrictor) atacando e devorando inteira uma fêmea de macaco bugio, um dos maiores primatas do Novo Mundo, pesando cerca de 4 kg. Esse raro evento de predação foi gravado em um pequeno fragmento florestal (2,5 hectares) no estado de Rondônia por Erika Patricia Quintino, pesquisadora da PUC do Rio Grande do Sul. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12746 2014-02-07T15:46:00Z 2014-02-07T16:27:46Z Caça e desmatamento pode ameaçar em longo prazo a saúde das florestas do Congo acabando com os animais-chave <table align="left"><tr><td><img src="http://www.mongabay.com/images/gabon/150/gabon-23070.JPG" align="left"/></td></tr></table>A caça insustentável de elefantes, gorilas, antílopes e outros dispersadores de sementes pode ter impactos em longo prazo na saúde e resiliência das florestas tropicais da bacia do Congo, adverte um estudo publicado hoje em uma edição especial da revista <i>Philosophical Transactions of The Royal Society B</i>. Brittany Stewart 3.636777 11.95703 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12744 2014-02-07T14:52:00Z 2014-02-07T14:59:43Z Satélite revela plantação de 1000 hectares de óleo de palma escondidos na floresta amazônica peruana No Peru, um oficial regional florestal se mostrou surpreso com o repentino aparecimento de uma plantação de 1.000 hectares de óleo de palma no coração da floresta amazônica, reporta o La Region. Brittany Stewart -3.997494 -73.056875 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12739 2014-02-06T17:22:00Z 2014-02-06T17:53:16Z Óleo de palma é já a principal causa de desflorestação na Indonésia <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0903GP04NJD_press150.jpg" align="left"/></td></tr></table>A conversão de florestas para a produção de óleo de palma parece ser actualmente o maior motor de desflorestação na Indonésia, representando cerca de um quarto da perda florestal entre 2009 e 2011, afirma um novo relatório da Greenpeace que acusa o principal órgão de certificação do sector de não travar a destruição da floresta. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12723 2014-02-04T18:39:00Z 2014-02-05T22:19:14Z Proibição de desmatamento funciona na Costa Rica <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0805pineapples150.jpg" align="left"/></td></tr></table>A proibição da Costa Rica ao desmatamento das florestas maduras parece favorecer a expansão da agricultura em áreas não-florestais, revela um estudo publicado hoje no jornal Environmental Research Letters. A pesquisa, que foi conduzida por Matthew Fagan, da Universidade de Columbia, se baseia numa análise de dados de satélite validadas com visitas a locais de campo nas terras baixas do norte da Costa Rica. O estudo revelou que desde que a Costa Rica implementou a proibição à conversão de florestas maduras em 1996, a taxa anual de desmatamento caiu 40%, apesar do boom da agricultura na região. Os resultados sugerem que a Costa Rica está intensificando a produção agrícola enquanto preserva as florestas. Brittany Stewart 10.614718 -83.987947 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12703 2014-01-29T20:20:00Z 2014-01-29T20:29:34Z O Yasuní ainda poderia ser poupado da perfuração de petróleo <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay/jlh/ecuador/Yasuni.150/Yasuni_149.jpg" align="left"/></td></tr></table>Em 15 de agosto, quando o presidente equatoriano Rafael Correa anunciou que estava desistindo de um programa inovador para poupar três blocos do Parque Nacional Yasuní da perfuração de petróleo, parecia que o mundo estava se desfazendo da maior parte da biodiversidade de seu ecossistema. No entanto, grupos ambientalistas e ativistas responderam de imediato que poderia haver outro meio para manter as companhias de petróleo longe dos blocos Ishpingo-Tambococha-Tiputini (ITT) do Yasuní: um referendo nacional Brittany Stewart -1.183693 -75.605621 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12701 2014-01-29T17:41:00Z 2014-01-29T17:56:16Z População de Lêmures, recém descobertos em Madagascar, se reduzem a 50 indivíduos (foto) Pesquisadores descobriram novas — e significamente em extinção— espécies de lêmures na Ilha de Madagascar. O primata é formalmente descrito no periódico <i>Molecular Phylogenetics and Evolution</i>. Brittany Stewart -24.868994 46.974578 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12697 2014-01-28T22:33:00Z 2014-01-28T22:56:04Z Problemas com pesticidas na Amazônia <table align="left"><tr><td><img src=" http://travel.mongabay.com/brazil/150/brazil_0609.jpg" align="left"/></td></tr></table>À medida que a população mundial aumenta e a expansão da agricultura se estende além das fronteiras dos habitats naturais tropicais, os pesquisadores estão trabalhando arduamente para entender os impactos nas florestas tropicais e na biodiversidade global. Mas um impacto óbvio nessas fronteiras agrícolas tem sido pouco estudado: pesticidas. Contudo, um novo estudo que procura esclarecer o problema foi publicado na revista Philosophical Transactions, da Royal Society B. Brittany Stewart -5.747174 -64.299317 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12667 2014-01-20T18:19:00Z 2014-01-20T18:34:46Z Cientistas descobrem uma nova espécia de felino no Brasil <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/1126.L-guttulus-08-TGO_med_res2.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Em termos de família, os felinos são dos animais mais bem estudados no planeta, mas isso não significa que estes carnívoros não continuem a supreender-nos. Cientistas anunciaram hoje a fantástica descoberta de uma nova espécie de felino, há muito confundida com outra. Ao analisar os dados moleculares de pequenos felinos no Brasil, os investigadores descobriram que o gato do mato pequeno- também conhecida na América Central como oncilla- são, na realidade, duas espécies diferentes. A nova espécie foi designada de <i>Leopardus guttulus</i> e pode ser encontrada na Floresta Atlântica no Sul do Brasil, enquanto que a outra <i>Leopardus tigrinus</i> pode ser encontrada nos ecosistemas do cerrado e caatinga, no nordeste brasileiro. Brittany Stewart -25.697226 -48.620796 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12616 2014-01-09T17:38:00Z 2014-01-09T17:47:05Z Chineses perdem 2,5 mil milhões de anos de esperança de vida em resultado da queima de carvão Os chineses que habitam a norte do Rio Huai irão perder um total de 2,5 mil milhões de anos de esperança de vida em resultado do uso extensivo de carvão na região, conclui um novo estudo editado pela publicação oficial da <i> Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidoses</i> (PNAS). Brittany Stewart 32.901497 115.839629 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12609 2014-01-07T22:13:00Z 2014-01-07T22:19:38Z A região de Mekong perdeu um terço de suas florestas em 30 anos, e pode perder mais um terço até 2030 A região do Grande Mekong no Camboja, Laos, Mianmar (Birmânia), Tailândia e Vietnã perderá um terço de sua cobertura florestal remanescente até 2030, a menos que os governantes dessas regiões melhorem a gestão dos recursos naturais e de transição para um modo de crescimento mais verde, adverte o novo relatório emitido pela WWF. Brittany Stewart 13.219224 105.984421 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12606 2014-01-07T20:43:00Z 2014-01-07T21:06:18Z Taxas de desmatamento caem nos países da Bacia do Congo <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0722-africa-rainforest-map-150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O desmatamento tem diminuído nos países da Bacia do Congo, ao longo da última década, apesar de um forte aumento da taxa de derrubada de árvores na República Democrática do Congo, segundo um novo estudo publicado na Philosophical Transactions of the Royal Society B, como parte de um conjunto de 18 artigos sobre as florestas tropicais da região. Brittany Stewart -4.171115 20.823212 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12601 2014-01-07T00:43:00Z 2014-01-07T04:53:05Z Encontrando o mamífero que sobreviveu aos dinossauros <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/Hispaniolan_Solenodon_crop.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Então, aqui estou eu, correndo à noite numa floresta a mais de 3.200 quilômetros de casa. Essa floresta – seca, robusta e espinhenta o suficiente para arrancar sangue – fica apenas a poucos quilômetros ao norte de uma cidade rural do extremo oeste da República Dominicana, na fronteira com o Haiti. Eu estou seguindo – ou tentando acompanhar – um caçador local e guia enquanto procuramos por um dos mamíferos mais bizarros do mundo. Poucas pessoas ouviram falar, muito menos viram esse animal; até mesmo a maioria dos Dominicanos não o reconhece imediatamente por seu nome ou fotografia. Mas estou obcecado por ele há mais de seis anos: é denominada solenodonte, mais especificamente, solenodonte-do-haiti, ou <i>Solenodon paradoxus</i>, seu (bastante apropriado) nome científico. Brittany Stewart 18.052704 -71.726671 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12576 2013-12-26T17:30:00Z 2013-12-26T18:01:54Z Gigante de carapaça revela-se indispensável engenheiro de ecossistema <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/1024.Schafer.Tatu.099.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O tatu-canastra (<i>Priodontes maximus</i>) é um verdadeiro gigante entre os tatus: pesa tanto quanto um cachorro de grande porte e pode crescer mais do que a maior das tartarugas terrestres. Mas, apesar de seu tamanho, muitas pessoas que habitam as regiões em que ele vive — da Amazônia até o Pantanal — não sabem de sua existência ou acham que se trata de uma lenda. A espécie é um exemplo raro de megafauna que por muito tempo despistou não apenas os cientistas, mas também a atenção das pessoas em geral. Assumir o primeiro estudo de longo prazo a respeito do tatu-canastra permitiu ao intrépido biólogo Arnaud Desbiez descobrir um rico conjunto de novos dados sobre essas misteriosas criaturas. Ele não apenas documentou pela primeira vez a reprodução do tatu-canastra como também descobriu que esses gigantes gentis criam habitats vitais para uma grande variedade de outras espécies. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12570 2013-12-23T20:19:00Z 2013-12-23T20:54:11Z Como o YouTube colocou os únicos primatas venenosos do mundo em risco <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0725.AWalmsley-LFP-Markets-Jakarta-small-018.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Tudo começou com um vídeo: em 2009, um homem russo enviou um vídeo de si próprio fazendo cócegas no seu animal de estimação exótico (um pigmeu lóris lento) do Vietnã para o site imensamente popular YouTube. Desde então, o vídeo foi visto mais do que meio milhão de vezes. Mas um novo estudo na revista científica de acesso livre PLOS ONE conclui que tais vídeos do YouTube possam ter ajudado a alimentar um comércio ilegal e cruel que está colocando alguns dos primatas menos conhecidos do mundo em risco de extinção. Os lorises lentos são primatas pequenos, tímidos e noturnos que habitam as florestas da Ásia tropical, mas a existência das oito espécies está ameaçada por um comércio ilegal de animais e em expansão ajudado por vídeos de pigmeus loris lento sendo estimulados por cócegas, segurando minúsculos guarda-chuvas, ou fazendo outras gracinhas similares (mas totalmente artificiais). Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12527 2013-12-16T17:22:00Z 2013-12-16T17:39:29Z Lagartos-monitores desaparecem para o comércio internacional de animais e peles <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0603.57248_web.monitorlizards.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Os lagartos-monitores do mundo nos fazem lembrar que o mundo já foi governado por répteis: este gênero (Varanus) inclui os maiores lagartos do mundo, como o impressionante dragão de Komodo e muitos outros reis da ilha. Um grande número deles lindamente coloridos e estampados, estes lagartos são conhecidos por sua inteligência e seu papel ápice de muitas ilhas de cadeias alimentares. No entanto, um novo estudo descobriu que os lagartos-monitores do mundo, especialmente aqueles no Sudeste Asiático, estão desaparecendo devido ao tráfico de animais internacional e por suas peles, que são transformados em bolsas e pulseiras para relógios. Enquanto isso, a rápida destruição de suas casas florestais está agravando a situação. Brittany Stewart -8.561331 119.476891 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12487 2013-12-05T16:24:00Z 2013-12-05T16:50:45Z O ciclo de inundações/seca do Amazonas está a tornar-se mais extremo, menos previsível <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay/peru/150/peru_aerial_0495.jpg" align="left"/></td></tr></table>Nas últimas duas décadas o ciclo hidrológico do Amazonas tem vindo a tornar-se cada vez mais extremo, assistindo-se a um aumento da precipitação sazonal em toda a bacia, apesar das condições mais secas na zona sul da maior floresta húmida do planeta, revelou um novo estudo publicado na <i>Geophysical Research Letters</i>. Brittany Stewart -1.921904 -55.522213 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12460 2013-11-27T13:48:00Z 2013-11-27T14:17:48Z Zoológicos pedem que governos tomem providências urgentes contra o tráfico de animais selvagens (fotos) <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0722.chimp.zaccBASKET_DB9F392FAD98F.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Em uma única noite, em março passado, um grupo de caçadores fortemente armados e montados em cavalos matou 89 elefantes no sul do Chade — entre eles, trinta fêmeas grávidas. A carnificina foi o pior incidente de caça ilegal no ano, mas ainda assim não se compara à matança de 650 elefantes ocorrida em um parque nos Camarões em 2012. A caça ilegal de elefantes vem batendo novos recordes; especialistas afirmam que 30.000 animais estão sendo mortos por ano por causa do marfim de suas presas. E o tráfico de animais selvagens — que movimenta 19 bilhões de dólares, segundo estimativas — não está dizimando apenas elefantes, mas também rinocerontes, grandes felinos e primatas, além de milhares de espécies menos conhecidas, como pangolins e slow lorises (ou lórises lentos). O crescente massacre levou representantes de mais de 49 zoológicos e dezenas de programas de conservação da vida selvagem a pedir a governos de todo o mundo que tomem providências imediatas contra os crimes contra a vida selvagem, assunto que vem sendo negligenciado há tempos Brittany Stewart 41.604661 -93.646889 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12459 2013-11-27T12:47:00Z 2013-11-27T13:29:21Z Salvando Gorongosa: E.O. Wilson sobre a proteção de um dos grandes pontos de biodiversidade em Moçambique <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0530.gorgongosa.wilson.2.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Se você sobrevoar o Grande Vale do Rift da África a partir de seu ponto mais ao norte na Etiópia, sobre os grandes parques nacionais do Quênia e da Tanzânia, e seguir em direção ao sul até o final, chegará ao Parque Nacional de Gorongosa, no centro de Moçambique. Planaltos à leste e à oeste do parque flanqueiam o exuberante vale ao centro. Dramáticos penhascos de calcário, cavernas inexploradas, pântanos, vastos pastos, rios, lagos e vários retalhos costurados de savana e floresta contribuem para a incrível diversidade desse parque. O que torna o lugar único, no entanto, é o Monte Gorongosa - uma elevada massa de montanha com boa vista do vale abaixo. Brittany Stewart -18.890695 34.573059 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12452 2013-11-26T17:14:00Z 2013-11-26T18:11:03Z Por que o desmatamento na Amazônia está subindo <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/1116amazon150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O aumento de 28% no desmatamento da Amazônia brasileira no último ano que foi reportado na semana passada é uma má notícia, mas não é surpreendente. É má notícia porque o declínio no desmatamento desde 2005 nos deu a maior contribuição para a mitigação das mudanças climáticas no planeta, superando de longe as reduções nas emissões atingidas por qualquer país do Anexo 1 sob o Protocolo de Quioto.A conquista do Brasil é particularmente notável porque não veio à custa da produção agrícola; a produção de carne e soja continuou a crescer. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12433 2013-11-22T15:11:00Z 2013-11-22T15:18:59Z O clima global poderá aquecer mais rápido do que nunca em 65 milhões de anos <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0801.diffenbaugh1HR.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>De acordo com uma nova revisão de 27 modelos climáticos, cientistas dizem que o clima global provavelmente irá sofrer um aquecimento tão grande quanto qualquer outro dos últimos 65 milhões de anos, só que muito mais rápido. De acordo com o estudo publicado hoje na revista <i>Science</i>, a temperatura da Terra vai aumentar em 4 graus Celsius (7.2 graus Fahrenheit) em relação aos níveis pré-industriais até 2100 se continuarmos a emitir os mesmos níveis de poluição. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12405 2013-11-18T20:21:00Z 2013-11-18T20:24:59Z Taxa de desmatamento dobra na floresta amazônica, diz grupo O desmatamento na Amazônia brasileira é 103 por cento maior do que no ano passado, segundo a última avaliação da Imazon, uma ONG com sede no Brasil. Brittany Stewart -3.162456 -48.939457 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12396 2013-11-18T14:09:00Z 2013-11-19T13:15:06Z Espécies esquecidas: pirarucu ou 'peixe-dinossauro' <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0715.arapaima.IMG_6174.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>Os cientistas tem há muito concentrado-se em estudar os animais terrestres da Amazônia, mas o sistema fluvial sustenta algumas das comunidades de água doce mais diversas do mundo. O rio Amazonas, por si só (não incluindo afluentes) possui mais de 3.000 espécies de água doce, e muitas espécies ainda não foram descobertas, e muito menos objecto de qualquer investigação. Pior ainda, um relatório de 2009 concluiu que as espécies de água doce ao redor do mundo eram de quatro a seis vezes mais prováveis de serem extintas do que os seus correspondentes terrestres ou marinhos. Mas um novo grupo de cientistas - como o de DeSouza - estão trabalhando não só para entender melhor as espécies de água doce, mas para salvá-los antes que seja tarde demais. Certamente, o pirarucu é tão vital para a Amazônia como qualquer um de seus primos terrestres gigantes. Brittany Stewart 3.664936 -58.700556 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12375 2013-11-13T18:09:00Z 2013-11-13T18:17:52Z Boto-sem-barbatanas chinês passa a ser considerado “criticamente ameaçado” Na última atualização da Lista Vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), o boto-sem-barbatanas chinês (<i>Neophocaena asiaeorientalis asiaeorientalis</i>) passou de "ameaçado" para "criticamente ameaçado", refletindo o estado de deterioração daquele que é possivelmente o sistema fluvial mais degradado do mundo, o Yang-Tsé. O rebaixamento se deu depois que um levantamento no ano passado mostrou que existem apenas 1.000 desses animais, uma redução de 50% desde 2006. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12351 2013-11-11T18:31:00Z 2013-11-11T18:38:55Z Fertilidade na África pode levar a população mundial acima de 11 bilhões A população mundial pode crescer mais 4 bilhões de pessoas até o final do século, se a fertilidade na África não diminuir, segundo um novo relatório das Nações Unidas. Atualmente cerca de 1.1 bilhões de pessoas vivem no continente, mas esse número pode disparar para 4,2 bilhões (um aumento de 380%) ate 2100, fazendo a população mundial atingir 11 bilhões. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12332 2013-11-08T13:17:00Z 2013-11-08T13:26:20Z Estado brasileiro vai pagar municípios que reduzirem o desmatamento na Amazônia O estado brasileiro do Pará lançou um novo esquema de incentivo fiscal para ajudar a reduzir os níveis de desmatamento na floresta. Brittany Stewart -2.805885 -46.714783 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12315 2013-11-05T16:52:00Z 2013-11-05T17:05:41Z 60 grandes felinos foram mortos em parques brasileiros nos últimos dois anos <table align="left"><tr><td><img src="http://travel.mongabay.com/brazil/150/brazil_1950.jpg" align="left"/></td></tr></table>Pelo menos 60 grandes felinos foram mortos dentro de áreas protegidas nacionais no Brasil durante os últimos dois anos de acordo com um estudo recente publicado em mongabay.com no periódico Tropical Conservation Science (TCS). A reportagem, que foca na onça-pintada (<i>Panthera onca</i>) e nas populações da puma (<i>Puma concolor</i>) ,dentro de áreas protegidas no Brasil, mostra que a gestão de reservas e uso de restrições no nível de impacto da caça dos grandes felinos. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12313 2013-11-04T18:44:00Z 2013-11-04T20:41:26Z Antas, tráfico de drogas e polícia florestal: praticando a conservação em meio ao caos da Nicarágua <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/jordan.PICT0021.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>A Nicarágua é uma nação que ainda sofre com a extrema pobreza, com o comércio de drogas escancarado e dolorosas feridas de guerra após décadas de lutas internas. No entanto, assim como qualquer país definido por seus conflitos, a Nicarágua tem surpresas que fogem do senso comum. Entre elas, o fato de que ela ainda é o lar de grandes e esplêndidas espécies, incluindo jaguares, enormes tamanduás, pumas, e o animal mais pesado do país: a anta-de-Baird (<i>Tapirus bairdii</i>). Porém, devido à instabilidade da nação, não é surpresa que a maioria dos conservacionistas têm evitado a Nicarágua. Mas o expert em antas, Chistopher Jordan, que trabalhou no país durante mais de quatro anos, diz que não poderia ser de outra jeito. Brittany Stewart 13.982629 -83.465123 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12245 2013-10-24T13:56:00Z 2013-10-24T14:09:59Z Brasil confirma aumento de desmatamento na Amazônia Dados divulgados pelo governo brasileiro na última sexta-feira confirmam aumento do desmatamento na Amazônia. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12244 2013-10-24T13:34:00Z 2013-10-24T13:45:59Z Poluição do ar de Cingapura atinge o pior nível já registrado, o governo culpa as plantações de óleo de palma e as indústrias madeireiras em Sumatra O Índice de Poluição do Ar (Pollutant Standards Index, em inglês) de Cingapura atingiu o maior nível já registrado na Sexta-Feira causado pela densa névoa devida às queimadas de plantações, turfeiras e áreas florestais que continuavam enfurecidas na Sumatra. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12238 2013-10-23T17:56:00Z 2013-10-23T18:04:53Z Morcego Chewbacca e um besouro com peidos explosivos entre algumas esquisitices encontradas em uma expedição em Mozambique <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0604Gorongosa_10_150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O morcego “Chewbacca”, o sapo que habita em cavernas, e o besouro bombardeiro que solta peidos explosivos como um modo de defesa, e um pequeno elefante musaranho, são algums dos animais entre centenas de espécies documentadas durante uma pesquisa de um mês, em um parque que foi arrasado durante a guerra civil the 17 anos em Mozanbique. A descoberta mostra que a biodiversidade no Parque Nacional de Gerongosa na central de Mozanbique está ao caminho de restabelicimento, abrindo um novo capitulo para a área protetgida de 4,000 quilômetros quadrados. Brittany Stewart -18.539513 35.304136 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12237 2013-10-23T17:34:00Z 2013-10-23T17:43:39Z Greenpeace divulga dramáticas fotos de nuvens de fumaça e incêndios na Indonésia <table align="left"><tr><td><img src="http://mongabay-images.s3.amazonaws.com/13/0624gp-haze-02a150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O Greenpeace divulgou uma série de fotos das linhas de frente dos incêndios que estão provocando nuvens de fumaça e acionando alertas de saúde por toda Singapura e Malásia. Brittany Stewart 1.133363 100.800069 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12234 2013-10-23T16:06:00Z 2013-10-23T16:12:38Z As mudanças climáticas reduzirão para metade os habitats de mais de 100,000 espécies comuns Ao mesmo tempo que as concentrações de dióxido de carbono atingiram, pela primeira vez na história da humanidade, na semana passada, as 400 partes por milhão (ppm), um novo estudo publicado na <i>Nature Climate Change</i> alerta que milhares de espécies comuns irão sofrer uma grave perda de habitat devido às mudanças climáticas. Brittany Stewart tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12225 2013-10-22T17:20:00Z 2013-10-22T18:02:08Z Salvando o tenkile: uma expedição para proteger um dos animais mais ameaçados de que você nunca ouviu falar <table align="left"><tr><td><img src="http://s3.amazonaws.com/mongabay-images/13/0605.1367759602.tenkile.png.150.jpg" align="left"/></td></tr></table>O tenkile, ou canguru-arborícola-de Scott (Dendrolagus scottae) podia ser um cruzamento entre um koala e um cachorrinho. Com o seu pêlo escuro e felpudo, cauda e focinho compridos e orelhas pequeninas, é difícil imaginar um animal mais adorável. Também é difícil imaginar que o tenkile é uma das espécies mais ameaçadas na Terra: restam apenas cerca de 300. Brittany Stewart -3.006813 141.901073 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12178 2013-10-09T01:09:00Z 2013-10-09T01:42:39Z Os íbises-eremitas sírios podem estar reduzidos a um único indivíduo A população oriental de íbis-eremitas (Geronticus eremita) está hoje provavelmente reduzida a um único indivíduo capaz de se reproduzir, de acordo com conservacionistas que monitoram o grupo. Essa população era considerada extinta desde 1989, até que uma pequena colônia foi descoberta na Síria em 2002. No entanto, parece agora que esse grupo está sumindo aos poucos, apesar dos esforços de grupos conservacionistas para mantê-lo. Brittany Stewart 34.559163 38.280115 tag:pt.mongabay.com,2005:Article/12164 2013-10-03T21:40:00Z 2013-10-03T21:49:40Z O Brasil alardeia progressos na redução da perda florestal, mas falha em notar o agravamento do desmate Hoje, em um comunicado de imprensa da ONU para o Dia Mundial do Meio-Ambiente, o governo brasileiro destacou uma queda acentuada no desmatamento, desde 2012. O problema é que a superpotência da América do Sul não reconheceu o que parece ser um forte aumento na perda da floresta amazônica desde o ano passado, informa o Greenpeace. Brittany Stewart