Primeira página | Sobre | Ajuda | Contato | RSS | Twitter
Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês

Notícias ambientais

Novas leis podem transformar as florestas do Brasil em minas
(04/15/2015) Com a maior rede de áreas protegidas, e uma queda de 70% na taxa de desflorestação da Amazónia durante a ultima década, o Brasil tem feito um enorme esforço para preservar o que resta da sua natureza. No entanto, esses esforços poderão ser agora colocados em causa, devido a novas leis, que ameaçam transformar as áreas protegidas do país em minas e barragens.


Como nos contos de fada: adentrando a última floresta primária da Europa
(04/11/2015) Quase nada restou das célebres florestas europeias que por milênios ofereceram fornecimentos para comunidades humanas e deram vida aos contos-de-fada mais famosos do planeta. Ocupando a fronteira entre a Polônia e a Bielorrússia, a floresta Bialowieza é a última floresta primária de vegetação rasteira, com partes que nunca foram cortadas pelo homem.


Razões surpreendentes para ser otimista sobre a preservação das florestas
(04/06/2015) Nos anos 90 o mundo observou com atenção que vastas áreas de floresta tropical foram derrubadas para madeira e cultivação de terras, escavadas para minerais e energia e inundadas para projetos hidrelétricos. Grupos de conservação, governos, filantropos e instituições como o Bando Mundial, gastaram coletivamente bilhões de dólares em programas para combater o massacre. Mas, como visto por satélites bem acima da superfície terrestre, esses esforços quase não mudaram as taxas de desmatamento. Uma década e meia no século XXI, o mundo ainda testemunha a mesma destruição a uma taxa ligeiramente reduzida


Peixes de mercúrio: exploração de ouro no Peru coloca em risco as comunidades que vivem a jusante das minas
(04/03/2015) Na sua maioria ilegal, a exploração mineira artesanal de ouro destruiu parte da floresta Amazónica no Peru na última década, devido sobretudo a um aumento do preço do ouro. O facto da indústria não estar regulamentada resultou em extensa desflorestação, e num desastre ambiental. Para além disso, os especialistas levantam agora questões em relação a um potencial impacto na saúde dos habitantes da região, devido à poluição causada pelo mercúrio. Um novo estudo científico publicado na Royal Society of Chemistry revela, pela primeira vez, que a poluição causada pelo mercúrio, tem-se espalhado rapidamente ao longo dos rios, podendo estar a causar danos nas comunidades localizadas até, pelo menos, 560 km (350 milhas) das minas.


Bebés e maternidade: como os tatus-canastra estão a surpreender os cientistas (fotos)
(04/02/2015) Até há dez anos o conhecimento dos cientistas acerca dos hábitos reprodutivos do tatu-canastra, o maior tatu do mundo, resumia-se basicamente à especulação. Mas um projecto de investigação a longo prazo no Pantanal brasileiro está a mudar isso: no ano passado os investigadores anunciaram as primeiras fotos de sempre de um tatu-canastra bebé e desde então já registaram um segundo nascimento, de outra fêmea


Áreas protegidas recebem 8 bilhões de visitas por ano, mas continuam carente de recursos
(04/02/2015) O mundo ama suas áreas protegidas, de acordo com um novo estudo no acesso livre do PLOS Biology. Pesquisadores dos EUA e da Inglaterra estimam que o as áreas protegidas do mundo recebem oito bilhões de visitas todo ano. Isso significa uma média de uma visita de 1.1 de cada pessoa que visita as áreas protegidas em um ano quando se analisa a estimativa global da população de aproximadamente 7.2 bilhões atualmente. Além disso, a pesquisa constatou que as áreas protegidas de provavelmente proporcionou pelo menos 600 bilhões de dólares para as economias nacionais.


'As armas também matam árvores': caça excessiva aumenta o perigo de extinção das árvores
(03/24/2015) Um novo artigo científico confirma algo que os ecologistas há muito receavam: a caça de aves e mamíferos aumenta drasticamente o risco de extinção das árvores tropicais. Estudando de perto do ciclo de vida de uma árvore da espécie Miliusa horsfieldii, os investigadores descobriram que a caça excessiva de animais aumenta 14x as probabilidades de extinção desta espécie de árvores, ao longo do século, de 0.5% para 7%.


Florestas tropicais: 10 coisas para se observar em 2015
(03/23/2015) 2014 foi um ano de marco de referência para as florestas tropicais, com dezenas de grandes empresas comprometidas a eliminar o desmatamento das cadeias de fornecimentos, teve o lançamento de novas plataformas para monitorar as florestas, e uma queda considerável no desmatamento na Amazônia brasileira, dentre outros grandes desenvolvimentos. Aqui está um rápido olhar adiante no que poderia estar reservado para as florestas tropicais em 2015.


Erradicação dos ratos é necessária para salvar colônia de aves marinhas
(03/18/2015) Além de serem um incômodo na sua casa, em um conjunto de ilhas isoladas (arquipélago) na costa nordeste do Brasil, os ratos são uma ameaça para o rabo-de-palha-de-bico-vermelho (Phaethon aethereus). Os ninhos de aves marinhas no remoto Parque Nacional de Abrolhos são invadidos por duas espécies de ratos que atacam seus ovos e filhotes: o rato-preto (Rattus rattus) e o rato-marrom (Rattus norvegicus).


Metade do desmatamento na Indonésia ocorre fora das áreas de concessão
(03/12/2015) Aproximadamente metade da perda das florestas naturais na Indonésia ocorre fora das áreas de concessão oficialmente designadas, concluiu uma nova avaliação, que também detectou os índices de desmatamento mais altos nos locais onde a governança florestal apresenta os piores resultados. O relatório, divulgado no mês passado pela organização Forest Watch da Indonésia, é baseado na análise de dados do satélite que cobriu a área do arquipélago. Ao contrário das avaliações feitas pelo Ministério Florestal, a informação inclui áreas fora das "propriedades florestais".


Como é que vamos evitar o desaparecimento das florestas mundiais antigas?
(03/11/2015) Não há nada no mundo como uma floresta primária, que nunca foi alvo de desbastação industrial ou abatida pelo homem. Nas características comuns destas florestas incluem-se as árvores antigas, uma quantidade significativa de madeira morta, pouco crescimento ao nível do solo, devido à cobertura das copas das árvores, e uma elevada biodiversidade, que inclui muitas espécies que não se encontram noutros locais. São geralmente descritas como semelhantes a catedrais, devido aos troncos das árvores que se assemelham a pilares e ao tapete vegetal que cobre o solo.


Conheça os criminosos ambientais mais procurados do mundo
(03/06/2015) Na tentative de manter os esforços recentes para aumentar as suas acções contra os crimes ambientias, a INTERPOL identificou nove fugitivos por quebrarem a lei ao exercerem actividades relacionadas com exploração ilegal de madeira, caça furtiva e comércio de animais selvagens, pesca ilegal e despejo ilegal de resíduos, entre outros crimes.


Tempo para um “checkup”: Pesquisadores examinam a saúde da Anta Brasileira
(02/25/2015) A anta-brasileira (Tapirus terrestris) tem uma má fama no Brasil, onde chamar uma pessoa de anta pode significar chamá-la de burra. No entanto, a história tem mostrado que esta espécie merece muito mais respeito. Este ousado "fóssil vivo" sobreviveu à múltiplos eventos de extinção desde o Eoceno (era geológica), ainda que sua capacidade de sobreviver ao presente Antropoceno permaneça permaneça incerta.


30% das florestas do Bornéu foram destruídas desde 1973
(02/21/2015) Mais de 30% das florestas tropicais do Bornéu foram destruídas ao longo dos últimos 40 anos, devido a fogos, à exploração madeireira, e à propagação das plantações industriais, de acordo com um novo estudo que, até à data, inclui a mais completa análise das alterações do coberto florestal da ilha. Esta investigação, publicada na revista científica de livre acesso PLOS One, mostra que apenas pouco mais de um quarto das florestas de planície da ilha do Bornéu permanecem intactas.


Pedra gigante com formato de rosto é revelada na floresta tropical amazônica
(02/03/2015) Um novo curta metragem documenta a jornada de uma tribo amazônica que caminha mata adentro do seu território e encontra um misterioso semblante de pedra, supostamente esculpido pelos seus antepassados. De acordo com o Handcrafted Films, que produziu o documentário entitulado A Reunião, essa foi a primeira vez que o Rosto Harakbut foi filmado.


Sem medidas draconianas, o boom da população global está 'bloqueado'
(02/03/2015) Segundo as últimas projeções, o número de pessoas que vivem na Terra poderia exceder a dez mil milhões até o final deste século. Agora, um novo estudo tem analisado o que deveria ser feito para reverter o crescimento incessante e alcançar uma população sustentável que é menos ameaçadora à biodiversidade e aos ecossistemas ao redor do mundo. Perto de uma catástrofe mundial, os cientistas dizem que, a única forma de parar esse impulso da população é instituir uma política de ser ter somente um filho no planeta, dentro de poucas décadas.


Fornecedor de animais para venda e jardins zoológicos perde 3500 animais por semana (fotografias)
(01/22/2015) Há cerca de cinco anos, uma investigação liderada pela PETA a um revendedor de animais exóticos, que durou sete meses, chegou a um final perturbador. As autoridades fizeram buscas na U.S. Global Exotics, em Arlington, Texas, confiscando mais de 26400 animais de 171 espécies, presos em condições desumanas e deficientes do ponto de vista sanitário. Estas buscas tornaram-se uma das maiores apreensões de animais exóticos na História dos Estados Unidos da América.


Nada mais a derrubar: estarão as madeireiras ecologicamente certificadas acabando com as últimas florestas primárias da Rússia?
(01/14/2015) As árvores da Rússia alimentam nossa demanda crescente por produtos à base de madeira. As vastas florestas do país, que cobrem mais de 800 milhões de hectares, ou mais da metade de sua superfície terrestre, são uma grande fonte de madeira para as indústrias de madeira, papel e polpa de madeira.


Como podemos evitar o desaparecimento das florestas primárias no mundo todo?
(01/09/2015) Nada no mundo é comparável a uma floresta primária, que jamais sofreu abate industrial ou desmatamento provocado por pessoas. As características comuns dessas florestas incluem as árvores centenárias, a significante quantidade de madeira morta, a pouca vegetação rasteira devido a sombra das copas das árvores, e a alta biodiversidade, incluindo a existência de muitas espécies que não são encontradas em nenhum outro local. Tais florestas são frequentemente descritas como similares às catedrais, devido as arvores que se assemelham aos pilares e a vegetação rasteira que lembra um tapete. Ainda, as florestas primárias mundiais¬¬–também chamadas de florestas de crescimento antigo–estão diminuindo a cada ano, e os legisladores não estão fazendo o bastante para deter o processo.


Ponto de viragem para as florestas do Perú? Noruega e Alemanha colocam esforço e investimento por trás de um ambicioso acordo
(01/07/2015) Desde os Andes até à Amazónia, o Perú contém algumas das florestas mais espetaculares do mundo. Tribos indígenas culturalmente diversas habitam o interior da Amazónia Peruviana, incluindo tribos que pouco contactaram com o mundo exterior. E mesmo tendo os cientistas já descoberto dezenas de milhares de espécies que habitam estas florestas, desde a folhada até à copa das árvores, muitas mais permanecem por descobrir.


Mais de um milhão de pangolins foram mortos na última década
(12/10/2014) De acordo com uma actualização da Lista Vermelha da IUCN, um dos mais bizarros grupos de animais do mundo está em risco de ser completamente erradicado. Os pangolins, que se assemelham, em termos físicos e comportamentais, a papa-formigas com escamas, não existindo no entanto qualquer relação entre ambos, estão a ser consumidos ilegalmente até à extinção devido a um comércio próspero no Este Asiático.


A opção barata na mudança do clima: o reconhecimento dos direitos indígenas nas florestas
(12/05/2014) Desde 2008, os governos investiram 1,64 bilhão de dólares em fundos para dar um novo impulso no REDD+, ou no programa de Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal, em um esforço global na conservação e gestão sustentável das florestas de todo o mundo, para melhor gerenciar a mudança climática Entretanto, um novo relatório feito pela Iniciativa dos Direitos e Recursos (IDR) diz que a mesma quantia de dinheiro poderia ter assegurado aos indígenas e à população local os direitos legais dos 450 milhões de hectares de floresta, uma área 40 por cento maior do que a Índia.


Peru reduz proteções ambientais para atrair mais investimentos em mineração e combustíveis fósseis
(11/28/2014) Em um esforço para alavancar os parcos investimentos nos setores de combustíveis fósseis e mineração, o Peru aprovou uma nova lei bastante controversa que subverte muitas das proteções ambientais e, essencialmente, enfraquece o Ministério do Meio Ambiente. A nova lei não somente tem preocupado os ambientalistas quanto ao seu impacto sobre o país -- com 60% do território dentro da floresta amazônica -- como também a forma como as medidas irão minar o desenvolvimento da “UN Climate Summit” (Conferência do Clima da ONU) em dezembro próximo, que será sediada no Peru.


População de tigres malaios diminui para apenas 250-340 indivíduos
(11/12/2014) A Malásia está à beira de perder os seus tigres, e o mundo está cada vez mais perto de perder mais uma subespécie de tigres: o tigre-malaio (Panthera tigris jacksoni). Estimativas de 2010-2013 baseadas em armadilhagem fotográfica apontam para que existam apenas 250-340 tigres malaios na natureza, o que representa praticamente metade dos 500 indivíduos estimados anteriormente.


Jane Goodall fará parte do Mongabay
(11/11/2014) Famosa especialista em primatas e conservacionista, Jane Goodall, cuja imagem é conhecida mundialmente, agora faz parte do quadro consultivo do mongabay.org Esse é o segmento sem fins lucrativos do mongabay.com, um website ambiental e de ciências com foco especial nas florestas tropicais.


Apenas 15% dos hotspots de biodiversidade do mundo mantêm-se intactos
(11/10/2014) De acordo com uma nova e preocupante análise sobre vegetação primária remanescente, os 35 hotspots de biodiversidade no mundo – que abrigam 75% de todas as espécies de vertebrados terrestres ameaçadas – estão em situação pior do que se imaginava. Na média, esses locais, que incluem joias da vida selvagem, como Madagascar, os Andes tropicais e Sunda (Bornéu, Java, Sumatra e a Península Malaia), mantêm menos de 15% de sua vegetação natural intacta. E o que é pior, quase metade deles tem menos de 10% da vegetação primária mantida, sendo que cinco têm menos de 5%.


Será possível ter roupa cuja matéria prima não esteja associada à desflorestação?
(10/21/2014) Duas das maiores companhias de fabrico de roupa, a H&M e a Zara/Inditex, comprometeram-se hoje a eliminar a destruição das florestas antigas dos seus produtos. Este compromisso apoia uma nova corrente de esforços para retirar os processos de desflorestação das cadeias de consumo de marcas globais.


Rhett Butler, fundador de Mongabay, vence prestigiante prémio de conservação atribuído pelo Field Museum
(10/13/2014) O Field Museum homenageou Rhett A. Butler, o fundador de mongabay.com, atribuindo-lhe o seu prestigiante prémio Parker/Gentry. De acordo com o Museu, este prémio é atribuído anualmente a “uma pessoa, equipa ou organização cujos esforços tenham tido um impacto significativo na preservação da riqueza natural mundial, e cujas ações sirvam de exemplo para os outros”.


Crescimento mas principalmente queda: a disputa pelas sardinhas no Estreito de Bali, na Indonésia (parte II)
(10/06/2014) Cinquenta e cinco trabalhadores, quase despidos, cantam canções de marinheiro em Madurês fazendo gestos sincronizados enquanto transportam redes de arrastão gigantes, mão sobre mão, em direção à plataforma flutuante de madeira do M/V Sinar Indah no meio do Estreito de Bali. Essa manhã eles desembarcaram um carregamento grande no porto local de Muncar: sete toneladas de sardinhas lemuru, uma especialidade local, pelas quais os agentes das fábricas de conservas ofereceram 3.500 dólares.


A próxima grande ideia para a preservação florestal? Incentivar todos a supervisionar as florestas
(10/03/2014) Nigel Sizer tem trabalhado na vanguarda dos problemas florestais globais por décadas. Atualmente, é diretor global do programa florestal do World Resource Institute (WRI – Instituto Mundial de Recursos), cujos projetos incluem a Global Forest Watch (Vigília Florestal Global), a Forest Legality Alliance (Aliança de Legalidade Florestal), e a Global Restoration Initiative (Iniciativa de Restauração Global).


Florestas Tropicais Úmidas

Florestas Tropicais do Mundo
As florestas tropicais são um mundo como nenhum outro; e sua importância para o ecossistema global e para a existência humana é primordial. Incomparável em termos de sua diversidade biológica, as florestas tropicais são uma reserva natural de diversidade genética que oferece uma rica fonte de plantas medicinais, alimentos de subisistência, e uma miríade de outros produtos florestais úteis. Elas são um habitat importante para animais migratórios e sustentam aproximadamente 50 por cento das espécies na Terra, bem como um grande número de culturas indígenas diversas e únicas. As florestas tropicais tem um papel elementar na regulação global do clima além de manter a regularidade das chuvas, enquanto proteção contra inundações, secas e erosão. Elas armazenam vastas quantidades de carbono ao produzir uma quantidade significativa de oxigênio para o mundo.

Estrutura das Florestas Tropicais
As florestas tropicais no mundo todo são bastante diversificadas, mas várias dividem as mesmas características incluindo clima, precipitação, estrutura dossel, complexo de relações simbióticas, e uma diversidade de espécies. Cada floresta tropical não necessariamente precisa estar conformidade com estas características e a maioria dessas florestas tropicais húmidas não têm limites claros, mas podem se misturar com adjacente manguezal florestal, floresta úmida, florestas montanhosas, ou floresta tropical deciduous.

Diversidade das Florestas Tropicais
Embora cubram menos de 2 por cento da superfície da Terra, estima-se que eles cobrem 50 por cento de toda a vida no planeta. O imenso número de criaturas que habitam as florestas húmidas tropicais são tão grandes-um número estimado 5-50 milhões de espécies-que são quase incompreensíveis. O vasto leque de números por si só sugere a extensão limitada do nosso conhecimento dessas florestas. Por exemplo, as florestas temperadas são frequentemente dominadas por uma meia dúzia de espécies arbóreas ou menos que compõem 90 por cento das árvores da floresta, uma floresta tropical pode ter mais de 480 espécies de árvores em um único hectare (2,5 hectares). Um único arbusto na Amazônia pode ter mais espécies de formigas do que toda a Ilha Britânica. Esta diversidade das florestas tropicais aleatória não é um evento, mas é o resultado de uma série de circunstâncias únicas.

O Dóssel das Florestas Tropicais
Estima-se que 70-90 por cento da vida na floresta existe nas árvores, acima do solo sombreado da floresta. Floresta tropical primária é verticalmente dividida em, pelo menos, cinco camadas: o céu da floresta, o copa, o sub, a camada arbustivas, e o chão da floresta. Cada camada tem a sua própria espécie animais e vegetais interagindo com o ecossistema à sua volta. O céu refere-se à coroas de árvores emergentes que sobe de 20-100 metros acima do resto do dossel. A copa é o denso limite de árvores espaçadas e seus galhos, enquanto o sub é mais amplamente espaçados, pequenas espécies arbóreas el indivíduos que formam uma camada quebrada abaixo do dossel. A camda arbustiva é caracterizada por espécies de arbustos e pequenas árvores que crescem somente 5-20 pés acima do solo. O solo da floresta é camada de solo da floresta constituído pelos troncos de árvores, fungos, e de baixo crescimento vegetativo. Estas camadas nem sempre são distintas e podem variar de floresta pra floresta, mas servem como um bom modelo de estrutura vegetativa e mecânica da floresta.

O Solo da Floresta
O solo da floresta tropical primária raramente é o grosso, selvas emaranhadas de aventuras e histórias. É muito pelo contrário: o solo é relativamente claro de vegetação devido à profunda escuridão criado por 100 pés (30 m) acima do dossel vegetação. O dossel não apenas bloqueia a luz solar, mas também vento e chuva. Um visitante da floresta tropical durante uma chuva irá normalmente não sentir imediatamente a chuva caindo, porque muito da chuva se desvia e recolhidas por diversas plantas do dossel. O bloqueio de vento pela copa torna a o chão da floresta um lugar calmo onde só a mínima brisa sopra durante tempestades tropicais. Ao fazer caminhadas na floresta tropical primária uma lanterna pode ser mais útil do que um machete uma vez que o ambiente de iluminação moderada limita o crescimento do terreno. Em vez vegetação asfixiada, o visitante vai encontrar grandes troncos de árvore, intercaladas por vinheiras e lianas, e inúmeras mudas e arbustos e um número relativamente pequeno de plantas terrestres.

Águas das Florestas Tropicais
Florestas tropicais têm alguns dos maiores rios do mundo, como o Rio Amazonas, Madeira, Mekong, Negro, Orinoco, e Zaire (Congo), por causa da enorme quantidade de precipitação que suas bacias hidrográficas recebem. Estes rios enormes são alimentados por inúmeros pequenos afluentes, córregos e riachos. Por exemplo, o Amazonas sozinho tem 1.100 afluentes 1100, 17 dos quais tem mais 1.000 quilómetros de extensão. Embora grandes rios tropicais são bastante uniformes na aparência e composição da água, os seus afluentes variam enormemente. Muitos rios e riachos tropicais possuem extremo altos e baixos níveis de águas que ocorrem em diferentes partes do ano.

Povos das Florestas Tropicais
Povos de Florestas Tropicais Florestas tropicais têm sido o lar para povos indígenas que têm moldado as civilizações e culturas baseadas no ambiente em que vivem. Grandes civilizações como os maias, incas, e Aztecas desenvolveram sociedades complexas e fez grandes contribuições para a ciência. Viver com a natureza e a falta de tecnologia para dominar seu ambiente, os povos nativos aprenderam a assistir seus arredores e compreender os meandros da floresta. Durante gerações essas pessoas aprenderam a importância de viver dentro de seu ambiente e chegaram a contar com os inúmeros benefícios que as florestas podem fornecer.

Forças por trás da Perda das Florestas Tropicais
Como as primeiras sete seções deste site tem descrito, florestas tropicais são incrivelmente ricas ecossistemas que desempenham um papel fundamental no funcionamento básico do planeta. Florestas tropicais são provavelmente o lar de 50 por cento das espécies do mundo, tornando-as uma extensa biblioteca de recursos biológicos e genéticos. Além disso, florestas tropicais ajudam a manter o clima, são regulamentadores de gases atmosféricos e estabilizadores de chuva, protegem contra a desertificação, e fornecem inúmeras outras funções ecológicas.

Consequências Globais dos Desmatamentos dos Trópico
Florestas Tropicais em todo o mundo continuam a diminuir. Será que realmente fazem a diferença? Por que alguém deveria se importar se algumas plantas, animais, cogumelos, e microorganismos perecerem? Florestas tropicais são frequentemente quente e úmidas, difíceis de alcançar, cheias de insetos, e têm vida selvagem fugaz.

Como Salvar as Florestas Tropicais
Hoje tropicais florestas tropicais estão desaparecendo da face da Terra. Apesar da crescente preocupação internacional, florestas tropicais continuam a ser destruídas a um ritmo superior a 80000 hectares (32000 hectares) por dia. A cobertura mundial de florestas tem em cerca de 2,5 milhões de milhas quadradas (6 milhões de quilômetros quadrados), sobre uma área do tamanho da contíguas 48 Estados Unidos ou Austrália e representando cerca de 5 por cento da superfície terrestre do mundo. Grande parte dessa área restante foi impactado por atividades humanas e já não mantém a sua plena biodiversidade original.

Peixe tropical

Prefácio
Introdução
Anatomia do Peixe
Química da Água
O Aquário
Aquário decorações
Manutenção do aquário
Plantas aquáticas
Comida do Peixe
Tratamento de doenças dos peixes
Saúde dos peixes
Como criar peixes
Conservação


Inglês


Para crianças







MADAGASCAR

Parte 01: Introdução
Parte 02: Geografia
Parte 03: Clima
Parte 04: Povo
Parte 05: História
Parte 06: Economia
Parte 07: Vida selvagem
Parte 08: Vida selvagem - lémures
Parte 09: Vida selvagem - carnívoros
Parte 10: Vida selvagem - mamíferos
Parte 11: Vida selvagem - pássaros
Parte 12: Vida selvagem - sapos
Parte 13: Vida selvagem - répteis
Parte 14: Vida selvagem - lagartos
Parte 15: Vida selvagem - cobras
Parte 16: Vida selvagem - peixes
Parte 17: Vida selvagem - invertebrados
Parte 18: Flora
Parte 19: Meio Ambiente
Parte 20: Meio Ambiente – desmatamento
Parte 21: Meio Ambiente – queimadas
Parte 22: Meio Ambiente – erosão
Parte 23: Meio Ambiente – exploração descontrolada
Parte 24: Meio Ambiente – espécies intrusas
Parte 25: Proteção do Meio Ambiente
Parte 26: Quiz


Fotos


Argentina



Austrália



Belize



Butão



Botsuana



Brasil



Birmânia



Califórnia



Camboja



China



Colômbia



Costa Rica



Croácia



Equador



Gabão



Grand Canyon



Guatemala



Honduras



Islândia



Índia



Indonésia



Itália



Jordânia



Kauai



Quênia



Laos



Madagascar



Malásia



Maui



México



Marrocos



Nepal



Nova Zelândia



Panamá



Peru



Eslovênia



Suriname



Tanzânia



Tailândia



Uganda



Estados Unidos



Utah



Venezuela


Primeira página |  Notícias ambientais |  Florestas tropicais |  Peixe tropical |  Imagens |  Para crianças  |  Madagascar |  Ajuda  |  Sobre  |  Inglês



© Rhett Butler 2010